“Revoltante esse monstro estar solto”, diz viúva de motoboy morto no Retão

“Todos os dias quando acordo, a primeira coisa que faço é ver as redes sociais, na esperança de ver a notícia que esse assassino foi preso”, desabafou Tatianne Andrade, esposa de Kelton Marques, motoboy morto ao ser atingido por um veículo em alta velocidade, no sábado (11), na Rua Flávio Ribeiro Coutinho (o retão de Manaíra), em João Pessoa. Até o momento, o empresário Ruan Ferreira, suspeito de atropelar o motoboy, segue foragido.

Família, amigos e colegas de profissão do motoboy continuam espalhando cartazes pela cidade e nas redes sociais com o objetivo de encontrar Ruan Ferreira. “Ajude a colocar esse homem atrás das grades”, diz o anúncio com a foto do suspeito e que foi compartilhado por Tatianne.

“É revoltante saber que esse monstro ainda está solto”, escreveu a esposa. Tatianne ainda afirmou que não vai parar até que o acusado seja preso e pague pelo crime que cometeu. Nas redes sociais, a hashtag #justiçaporKelton foi criada e já soma diversas postagens de pessoas revoltadas com o ocorrido.

Confira a postagem:

Nessa sexta-feira (17), por decisão da juíza Francilucy Rejane de Sousa Mota, do 2ª Vara do Tribunal do Juri de João Pessoa, foi derrubado o sigilo do processo sobre o caso Kelton. Na decisão a magistrada destaca que “considerando que já foi publicizado em vários meios de comunicação o decreto de prisão do réu, não existindo razão para que a cautelar permaneça sigilosa”, escreveu.