- Publicidade -
Cultura

Revista Piriah realiza segundo seminário em Campina Grande

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) realiza, na cidade de Campina Grande, o Segundo Seminário da Revista Piriah com o tema ‘Entre o Muro e a Galeria – A perspectiva da Arte no século XXI’. O evento vai ocorrer no Museu de Arte Popular da Paraíba, conhecido também como Museu dos Três Pandeiros, no próximo dia 10, às 19h.

- Continua depois da publicidade -

 

Os Seminários da Revista Piriah se apresentam enquanto desdobramentos das seções da revista e, nesta edição, vai tratar da relação do grafite frente à vida urbana e o cotidiano social. É neste cenário, de fortalecimento dos direitos culturais, que Thayroni Arruda, artista urbano e doutorando em Antropologia Social, debaterá sobre como o grafite passa a fazer parte da paisagem urbana das cidades.  A roda de diálogo da revista contará também com participação de Alex Araújo e de Shiko, artista visual e grafiteiro.

 

Para a Secult, já não mais se discute que grafite não é arte. Ele ocupa, atualmente, uma legitimidade institucional, cultural e artística que demonstra como esta manifestação alcançou o patamar de arte contemporânea. Muito embora, paradoxalmente, pode ser concebido de forma anônima, espontânea e marginal. Diante do complexo sistema comunicacional que mistura escrita e pintura, o grafite passa pela tutela da manifestação artística enquanto valor cotidiano da cidade e, podendo sim, ser considerado patrimônio cultural.

 

De fruição coletiva, sua dimensão simbólica se afirma, a partir do empoderamento social, como expressão de arte e pensamento coletivo, visto que seu caráter pedagógico propõe integrar pessoas em risco social e, daí, formar novos artistas. O mais importante, nessa roda de dialogo, é discutir uma identidade acerca do grafite. O debate discorrerá ainda sobre a temática da repressão e suas consequências na atual sociedade. Ignorar a importância social, artística, econômica, turística, antropológica e urbanística que os grafites possuem é um erro grave.

 

Sobre Thaironi Arruda – Artista urbano e doutorando em Antropologia Social, Thayroni Arruda destaca-se na produção e sobreposição de materiais reaproveitados e o graffiti criando um equilíbrio entre a matéria bruta e traços, detalhadamente pintados, ingênuos de seus personagens. Nascido em Campina Grande na Paraíba, teve o seu primeiro contato com a cultura “urbana” ainda na infância quando morava na cidade do Recife. Voltando a cidade natal, Thayroni Arruda ingressou na UFCG como estudante de Ciências Sociais e destacou-se como um dos pioneiros da street-art na cidade.

 

Serviço

2º Seminário da Revista Piriah: Entre o Muro e a Galeria – A perspectiva da Arte no século XXI.

Local: MAPP – Museu de Arte Popular da Paraíba || Museu dos Três Pandeiros

Data: 10 de fevereiro

Horário: 19h

 

 

Comente

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar