Lira: no momento eu sou um livre atirador, posso estar no lado A ou no lado B; ouça

O senador Raimundo Lira (PSD) quebrou o silêncio e comentou sobre a sua desistência de sua pré-candidatura a reeleição ao Senado. Em entrevista à Arapuan FM, na tarde desta terça-feira (19), ele afirmou que por enquanto vai estar cuidando de si e que se manterá discreto politicamente, mas que quer ter a liberdade de poder escolher qual lado iria militar.

“Eu vou participar, naturalmente, de forma discreta. Não vejo nenhum motivo, no momento, para fazer qualquer mudança. Isso não quer dizer que eu não venha fazer. Agora, no momento, eu sou um livre atirador. Eu posso estar do lado A, do lado B ou do lado C. Não acho que farei algum tipo de mudança e acredito que não irei fazer. Mas quero ter a liberdade de no decorrer da campanha, eu fazer a mudança que eu achar que devo fazer”, declarou.

Ele explicou os motivos que o levaram a desistência. “Após o velório de Rômulo Gouveia, fiz uma reflexão do que eu quero para minha vida e cheguei à conclusão de que não era esse ideal que eu queria. Eu queria era uma vida mais simples, menos exigida como é a do político. Minha decisão foi nesse sentido. Não quero acusar ninguém. Nenhum partido ou coligação estava conspirando contra mim. Quero apenas terminar o meu mandato e voltar para para minha residência, para a minha família”, argumentou.

Ele pontuou que as pesquisas internas, apesar de apontarem que ele tinha tendência em ficar em segundo lugar na predileção dos paraibanos para a senatória, não foi um fator determinante para sua desistência.