Radicais presos em Brasília tinham estacas, estilingues e ferramentas

Presos por envolvimentos nos ataques terroristas em Brasília estavam armados com estacas, estilingues e ferramentas pontiagudas — Foto: TV Globo/Reprodução

Novos depoimentos de presos envolvidos nos ataques terroristas às sedes dos três poderes em Brasília, no domingo (8), obtidos com exclusividade pela TV Globo, apontam como os golpistas se prepararam para enfrentar as forças de segurança. Imagens da perícia mostram estacas pontiagudas, dois estilingues, bolas de gude, máscaras de proteção e luvas.

André Luiz Vilela, de Juscimeira (MT), que foi preso dentro do Congresso Nacional, admitiu que carregava alguns desses objetos, mas que apenas os usaria caso fossem atacados por “esquerdistas”. Em depoimento, ele disse ter levado um cassetete feito de galho de árvore e um estilingue com bolas de gude.

Novos vídeos obtidos pela TV Globo mostram a ação violenta dos golpistas, e a falta de forças de segurança. A PM, com a ajuda de alguns integrantes da Força Nacional, tenta entrar em formação para responder à violência, mas os policiais são recebidos com pedras retiradas do chão da Praça dos Três Poderes.

Resumo dos ataques

  • Bolsonaristas terroristas invadiram e depredaram o Palácio do Planalto, o Congresso e o STF.
  • O movimento golpista em Brasília havia sido engrossado por dezenas de ônibus que chegaram à capital no fim de semana.
  • A Polícia Militar do DF mantinha poucos homens no local, não conseguiu frear os terroristas e foi acusada de omissão.
  • Obras de arte e móveis foram quebrados no Planalto. O plenário do STF ficou destruído.
  • Lula decretou intervenção federal para assumir a segurança do DF.
  • O ministro do STF Alexandre de Moraes determinou o afastamento do governador Ibaneis Rocha (MDB) por 90 dias, decisão que foi confirmada depois pelo plenário do Supremo.
  • O coronel que chefiava PM durante ataques em Brasília, Fábio Augusto, foi preso após determinação de Moraes.
  • Moraes também determinou a prisão do ex-secretário de Segurança Pública do DF e ex-ministro da Justiça no governo Bolsonaro, Anderson Torres.

Do g1