PT de João Pessoa denuncia ‘gestão intolerante’ da Sedurb e pede exoneração de Zennedy Bezerra

O Partido dos Trabalhadores de João Pessoa (PT-JP) divulgou uma nota de repúdio, nesta quinta-feira (28), contra a Prefeitura de João Pessoa e o secretário de Desenvolvimento Urbano, Zennedy Bezerra. O partido denuncia as agressões e truculência que agentes da Sedurb utilizaram para retirar um ambulante que vendia frutas nas ruas do bairro do Róger.

Conforme o partido, o auxiliar do prefeito Luciano Cartaxo age de forma truculenta, usando força e beirando a barbárie para tentar resolver a questão dos ambulantes na cidade.

Leia nota na íntegra

NOTA DE REPÚDIO À PREFEITURA DE JOÃO PESSOA

A Executiva Municipal do Partido repudia veementemente as agressões e truculência cometidas pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, por meio de agentes da Secretaria de Desenvolvimento e Controle Urbano (SEDURB), para com o trabalhador ambulante que se encontrava vendendo frutas nas ruas do bairro do Róger.

O PT entende que não é usando a força, a truculência e beirando a barbárie que a situação dos ambulantes será resolvida. É preciso respeitar o direito e o esforço desses trabalhadores por sobrevivência e dignidade.

Entende, também, que deve haver um diálogo entre Prefeitura, Câmara Municipal e Associação dos Ambulantes para que se chegue a uma política de ordenamento do espaço público de forma a não prejudicar os trabalhadores e a população, onde o respeito à dignidade humana venha antes de qualquer outro interesse.

O Partido dos Trabalhadores repudia veemente a violência sofrida pelo vendedor ambulante e a forma intolerável como o secretário, Zennedy Bezerra, vem administrando a SEDURB. O Partido solicita a imediata exoneração do secretário e reafirma o seu compromisso e luta para que todas e todos tenham o direito de viver dignamente, sem se sentirem ameaçados no seu trabalho e no seu cotidiano.

A política municipal de controle urbano não pode servir como mecanismo de repressão e perseguição aos mais pobres.

João Pessoa, 28 de novembro de 2019.

Comente