Próximo do fim do mandato, prefeito de Pocinhos faz farra de nomeações e aditivos

Cláudio Chaves tem usado ainda o decreto de calamidade pública que autoriza a dispensa de licitação

O prefeito Cláudio Chaves da cidade de Pocinhos vai deixar uma dívida milionária para a futura gestão. Somente com a Previdência, o débito passa da casa dos R$ 19 milhões. Além disso, segundo informações que circulam em grupos de aplicativos de mensagens e nas redes sociais, o prefeito está praticando uma verdadeira farra de nomeações, contratações de empresas e aditando contratos, inclusive com dispensa de licitação.

Tudo isso acontece a apenas 15 dias do término do mandato e o objetivo é, segundo os populares, inviabilizar a gestão futura da cidade.

O débito com a Previdência é gigantesco. São mais de R$ 19 milhões, sendo que deste valor mais de R$ 11 milhões são de multas, juros e honorários, oriundos da prevaricação do atual prefeito, ou seja, por conta da irresponsabilidade do gestor, a dívida saltou de poucos mais de R$ 8 milhões para R$ 19.283.964, 04.

A Cagepa, o município tem uma dívida de mais de R$ 1,9 milhão.

Cláudio Chaves tem usado ainda o decreto de calamidade pública que autoriza a dispensa de licitação para uso exclusivo de obras, compras e serviços que tenham ligação direta com o combate a pandemia do coronavírus, para realizar outras despesas e promover aditivos contratuais, que em nada tem ligação com o combate a pandemia.