Projeto ‘Na Pegada da Dança’ oferece oficinas gratuitas neste sábado

Cantora Débora Vieira se apresenta nesta sexta-feira no Hotel Globo
Foto: Dayse Euzebio/Divulgação

O Hotel Globo vai sediar, nos dias 18 e 25 de setembro, oficinas de dança dentro do projeto ‘Na Pegada da Dança’. A iniciativa nasceu de uma parceria da Prefeitura de João Pessoa, através da Fundação Cultural (Funjope) com profissionais de dança que, inclusive, participaram da primeira etapa do Red Bull BC One, em Fortaleza (CE), no sábado (11), com resultados expressivos. Entre os mestres da dança, Jean Kenshin entra na ‘pegada’ para as aulas de Urban Experimental. As oficinas são recomendadas para o público a partir de 12 anos e as vagas são limitadas.

Para participar é preciso enviar um e-mail para funjopedanca@gmail.com, informando os dados pessoais (nome, contato dos pais ou responsáveis, idade). Mais informações pelo telefone (83)99937-6149.

Além dele, as oficinas contam com a orientação de Perninha, no breaking; Lucas Dias, no rocking; e Mago, nas dinâmicas coreográficas de breaking. Com a inclusão do breaking nas Olímpiadas de 2024, em Paris, B-Boys e B-Girls de João Pessoa e de outras cidades da Paraíba se reuniram para criar a Federação Paraibana de Breaking com o apoio da Funjope. O projeto ‘Na Pegada Urbana’ surge com o objetivo de fomentar as danças urbanas na cidade.

“Essa iniciativa das oficinas nasceu das nossas conversas com os jovens que fazem parte dos grupos de danças contemporâneas. Eles precisam ganhar espaço, valor e ter estímulopara poder, inclusive, se preparar para tantas competições nacionais e internacionais, como é o caso de uma Olimpíada”, declarou o diretor executivo da Funjope, Marcus Alves.

Desde agora, a Funjope vai preparando esse ambiente favorável à valorização das danças contemporâneas e das danças de rua. Esse, segundo ele, é um compromisso da fundação e faz parte do projeto de formação cultural da entidade.

As danças – O breaking tem origem norte-americana e é uma das vertentes da cultura hip hop. Criado em meados da década de 1970 e 1980, a envolve diferentes movimentos e passos, tendo sua base no top rock – dança em pé, footwork – desenvolvimento no chão, freeze – pose que congela ou pose para foto, e powermoves, que são os movimentos acrobáticos e de força.

A ideia dos dançarinos é ensinar elementos como trabalho de espaço e formas de usar as movimentações básicas. O objetivo da aula é introduzir e fomentar o breaking, tornando a dança mais comum na cidade.