Professores recomendam revisão e descanso na reta final para o Enem; confira dicas

Mesmo quem acredita que não se saiu tão bem no primeiro dia do Enem ainda pode melhorar a nota no segundo

Estudantes de todo o país farão, neste domingo (12), as provas de matemática e ciências da natureza do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023. Ao todo, serão 90 questões, todas objetivas, que deverão ser resolvidas em 5 horas. Revisão e descanso podem ajudar os estudantes a estarem mais preparados e mais seguros para o segundo dia de exame.

“Revisar matérias mais frequentes nas provas é o ideal! Tentar estudar todo o conteúdo da prova em uma semana é uma péssima ideia, mas reforçar conceitos e fórmulas sobre os assuntos mais comuns, vai trazer mais tranquilidade e melhores chances de obter uma boa pontuação”, diz o professor de matemática do Colégio Leonardo Da Vinci de Porto Alegre Diego Andrades.

Para a professora de química do colégio Ao Cubo do Rio de Janeiro Caroline Azevedo, três coisas são muito importantes na preparação para o segundo dia de provas. A primeira delas, como destacado também Andrades, é focar os estudos nos conteúdos mais recorrentes dos anos anteriores, realizando, as questões de outras edições do Enem. As provas e os gabaritos de anos anteriores estão disponíveis na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A segunda é chegar na prova com uma estratégia definida, ou seja, sabendo qual prova vai resolver primeiro e quanto tempo vai dedicar a cada área do conhecimento. “Não se deve tomar esse tipo de decisão na hora, muito menos fazer a prova sem uma estratégia definida”, diz a professora.

Já a terceira é avaliar o que deu certo e o que deu errado no primeiro dia do Enem, principalmente em relação ao controle do tempo. No último domingo (5), os estudantes fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação.

“Algumas questões das áreas de matemática e de naturezas são muito trabalhosas, às vezes envolvem muito cálculo, então o aluno precisa administrar bem o tempo para conseguir fazer a prova inteira. Um estudante que perde muito tempo em uma única questão frequentemente não consegue fazer a prova inteira, por isso acaba chutando questões sem sequer ter lido. E muitas vezes são questões fáceis e rápidas, que ele teria acertado se tivesse ao menos lido”, diz Azevedo.

Na mesma linha de Azevedo, o professor Andrades sugere que os estudantes busquem iniciar a prova procurando uma questão mais fácil. “No início da prova, o nervosismo atrapalha e pode comprometer. Escolher bem por onde começar é fundamental para baixar a ansiedade e ganhar confiança. Além disso, priorize questões de rápida compreensão e interpretação bem como conteúdos com os quais você se sente mais confortável”, sugere.

Segundo o professor, a organização é a chave para um bom desempenho. “Na primeira hora de prova, não hesite em pular as questões mais difíceis, fazendo anotações nelas para voltar depois. Finalmente, lembre-se que as questões da prova são sobre resolver um problema. As fórmulas podem ajudar, mas não são obrigatórias. Busque compreender o problema a ser resolvido, use as alternativas a seu favor e caso não lembre da fórmula, faça estimativas ou aproximações para chegar à resposta correta”, recomenda.

Fui mal no primeiro dia, e agora?
Mesmo quem acredita que não se saiu tão bem no primeiro dia do Enem ainda pode melhorar a nota no segundo dia. Segundo os professores é importante não desistir.

O professor de matemática da Central do Enem, do governo do Amapá, Márcio Costa, conta que durante a semana incentivou todos os alunos a fazerem a prova. No primeiro dia de exame, cerca de 28% dos inscritos faltaram ao exame. “Agora há pouco sai da sala de aula e falava para os alunos que quase 30% dos alunos não foram fazer a prova, a tendência é ter mais alunos faltando. Só o fato dele ir fazer já o coloca em vantagem. O primeiro ponto é, então, ir fazer a prova”, diz o professor.

Costa também recomenda que os alunos descansem ao menos no dia anterior ao exame: “Ter, no sábado, um momento de lazer com a família, com os amigos, dar uma volta, cuidar do psicológico”, recomenda. Isso poderá ajudar na ansiedade na hora do exame.

Azevedo também incentiva os participantes a não desistirem do segundo dia de prova. Segundo ela, o Enem tem notas independentes em cada área de conhecimento, portanto não ter um desempenho tão bom no primeiro dia não quer dizer que o aluno não possa se sair bem no segundo.

“São disciplinas muito diferentes. No segundo domingo de provas, os alunos costumam estar menos tensos, pois já tiveram a experiência do primeiro dia, já conhecem o local de prova, já sabem o que funcionou e o que não funcionou na sua estratégia. Então ele pode fazer esses ajustes”, diz a professora, que acrescenta: “Um bom desempenho no segundo dia pode perfeitamente compensar um baixo número de acertos no primeiro domingo”.

Enem 2023
As notas do Enem podem ser usadas para concorrer a vagas em universidades públicas pelo Sistema Seleção Unificada (Sisu), a bolsas de estudo em instituições privadas de ensino superior pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento estudantil pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Pode ser usado também para acessar o ensino superior em universidades estrangeiras.