Procuradora detalha esquema criminoso envolvendo secretários e servidores da gestão Romero

A procuradora da República Acácia Suassuna explicou, em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (24), detalhes do esquema criminoso envolvendo agentes públicos da administração Romero Rodrigues (PSD) em Campina Grande, em fraudes em licitações na merenda escolar do município. A Justiça Federal autorizou o afastamento cautelar, por 180 dias, de cinco servidores públicos da Prefeitura Municipal de Campina Grande, além dos secretários de Administração e Educação, Iolanda Barbosa e Paulo Diniz, respectivamente.

+ Justiça determina afastamento de dois auxiliares do prefeito Romero Rodrigues

+ Operação da PF prende 14 em CG e MPF aponta contratação de ‘fachadas’ por gestão Romero

“Inicialmente, os empresários abrem uma pessoa jurídica em nome de um ´laranja´ ou até mesmo de uma pessoa física inexistente e, por meio de procurações para si ou para terceiros, começam a representá-las em licitações, quase sempre concorrendo unicamente entre si. Por sua vez, os agentes públicos do Município de Campina Grande envolvidos com a organização criminosa conduzem os procedimentos licitatórios de modo a restringir o número de empresas interessadas e facilitar a vitória das pessoas jurídicas utilizadas pelo grupo. Para completar a fraude, as licitações para compra de merenda escolar em Campina Grande são elaboradas com objetos genéricos e imprecisos, de forma a dificultar a fiscalização da execução dos respectivos contratos, propiciando pagamentos irregulares em benefício do grupo”, explicou.

A operação, cumprida pela Polícia Federal em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e a Justiça Federal, denominada ‘Operação Faminto’,  cumpriu até o meio desta tarde dez mandados de prisão em Campina Grande, com quatro em aberto, além de 34 mandados de busca e apreensão em residências, empresas e órgãos públicos. Os presos tiveram a prisão temporária mantida após audiência de custódia.

Comente