Prioridade do PMN nas eleições municipais é a eleição de vereadores, diz presidente

A presidente do PMN em João Pessoa, LÍdia Moura comentou sobre a ações do partido para as eleições municipais deste ano.

“Em 2020 nós estamos com uma prioridade que está sendo coordenada por Bala Barbosa, nosso secretário geral que é a eleição de vereadores e vereadoras. Temos esse foco. Nós vamos conversar com o vereador Dinho e com o vereador Thiago para ver qual será a direção. O PNN nos municípios tem autonomia para decidir. Nós vamos conversar em função de que há outras pessoa que querem ser candidatos e candidatas pelo partido, para a gente tratar dessa chapa, assim como estamos fazendo em outros municípios”, destacou.

De acordo com ela, não haverá problemas caso os vereadores do PMN, que são da base do prefeito Luciano Cartaxo (PV), decidam seguir o candidato que o gestor irá lançar.

“Não vemos problema nisso, porque isso já aconteceu. Nós temos a tradição de respeitar as decisões locais. Essa é uma tradição do PMN. O momento é outro, porque o PMN teve um afastamento do governo federal e não sei como vai se posicionar essa candidatura”, disse.

Lídia justificou o afastamento do governo federal pela posição defendida pelo PMN, que apoia pautas relacionadas as mulheres, negros, LGBT’s, povos ciganos e indígenas e afirmou que o atual governo do Brasil repudia a vida das pessoas.

“O afastamento é no sentido de que nós continuamos defendendo essas pautas que estou falando, sobre mulheres, negros e negras, população LGBT, povos ciganos, povos indígenas, então como eu posso estar em um governo de repudia a vida dessas pessoas”, destacou.

Ela ainda enfatizou que “os direitos humanos são um foco do PMN. Se houver uma candidatura afastada disso, é muito difícil para nós e pedimos a compreensão de todas as pessoas. Não temos condições de apoiar candidaturas que são contrárias a vida da população LGBT, que desrespeita mulheres, que tem misoginia ou que tenha práticas racistas, porque nós temos uma prática democrática e em defesa dos direitos humanos, são esses os nossos critérios”, pontuou a presidente.

Comente