Prioridade da Paraíba é criar centros especializados para combate ao coronavírus, afirma secretário

Secretário de Saúde da PB anuncia 100 novos leitos para Hospital de Trauma de JP

O secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, participou nesta terça-feira (07), da sessão on-line da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). A pauta do dia foi a possibilidade da construção de um ‘Hospital de Campanha’ em Patos. Geraldo explicou aos parlamentares que, seguindo os estudos técnicos e exemplos de outros países, a prioridade do Governo do Estado será construir centros de referências, para tratar os pacientes com coronavírus.

“É essencial que os senhores deputados compreendam, a importância de termos centros de referência. Isso não é nenhuma invenção nossa. Na Europa e nos Estados Unidos, temos centros de referência, para que possamos salvar mais pessoas. Um exemplo típico é o da Alemanha, atualmente, que tem 1.400 hospitais e está fechando 800, abaixo de 50 leitos, porque os trabalho mostraram que o número de complicações dos doentes, nesses hospitais abaixo de 50 leitos, é muito mais elevadas que nos centros especializados”, explicou.

Geraldo enfatizou que o Estado irá continuar seguindo as orientações médicas e técnicas, buscando ter mais centros especializados, tanto com equipamentos, quanto com recursos humanos suficientes, para evitar o maior número possível de óbitos na Paraíba.

“Essa é a orientação que devemos ter do ponto de vista médico e técnico, se não teremos muitos óbitos na Paraíba, caso não criemos esse fluxo. Não adianta fazer um hospital de campanha em Patos ou em qualquer outro lugar do Sertão, porque nós não teremos, nesse momento, respiradores e recursos humanos suficientes. Não tenho dúvida nenhuma que, se nós adotarmos esse fluxo, salvaremos mais pessoas e, principalmente, mais sertanejos”, defendeu.

Sobre as Unidades de Terapia Intensiva (UTI), o secretário relatou sobre os leitos já disponibilizados no Sertão da Paraíba, que irão atender os pacientes com coronavírus, no período de estabilização inicial.

“Já temos salas e leitos de estabilização no Hospital Regional de Patos. Temos a UTI de Piancó, de Souza, Cajazeiras e Pombal que, momentaneamente, no período de estabilização, nós teremos o espaço, para que esse paciente seja cuidado de forma intensiva. Nós continuamos com a mesma opinião e acho que o senhores deputados deveriam consultar colegas intensivistas, infectologistas e os clínicos que lidam com pacientes graves, aqui da região, sobre a opinião deles em relação a essa diretriz da secretaria de saúde”, afirmou.

Colapso

Quando questionado sobre a possibilidade de um colapso nos hospitais, devido a demanda dos pacientes com coronavírus, o secretário afirmou que o isolamento social precisa continuar, para evitar que essa crise aconteça.

“Não há nenhum indício de colapso da nossa rede estadual hospitalar. Temos certeza que esse colapso não acontecerá, se o isolamento social continuar”, assegurou.

Exames

O secretário ainda relatou que existem 371 exames para serem realizados e que, provavelmente, essa semana os resultados devem estar prontos.

“Todos os exames eram enviados para o Instituto Evandro Chagas, em Belém do Pará, que ficou assoberbado, pois era referência para o Norte e Nordeste. Começamos a realizar os exames aqui e estamos fazendo uma média de até 120 exames por dia. Temos 371 exames de demanda reprimida que, provavelmente, em uma semana, com a produção que nós estamos tendo, iremos zerar essa demanda. Isso mostra que não existe subnotificação na Paraíba”, salientou.

Ele ainda alertou para a necessidade das secretárias municipais alimentem o sistema com os casos suspeitos, para que não haja subnotificação.

“É fundamental que as secretarias municipais notifiquem e alimentem o sistema com os casos suspeitos, pois só assim poderemos fazer um monitoramento”, concluiu.

 

Comente