Preso pela ‘Famintos’, Renan Maracajá alega motivos pessoais e pede licença do mandato

O vereador Renan Maracajá (DC), preso na segunda fase da Operação Famintos, vai tirar uma licença de 15 dias dos trabalhos da Câmara Municipal de Campina Grande. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (26), pela presidente da Casa, Ivonete Ludgério (PSD). O parlamentar alegou motivos pessoais para solicitar a licença.

Maracajá foi preso na última quinta-feira (22) e está detido na Penitenciária de Segurança Média Hitler Cantalice, no bairro Mangabeira, em João Pessoa.

Caso Maracajá se afastasse da Casa por mais de 121 dias, quem assumiria é o suplente, Gildo Silveira (DC).

Ivonete destacou que Renan não receberá remuneração no tempo que ficar afastado das atividades parlamentares.

 

Comente