Presidente nacional do PSOL detona ‘churrasco’ de Bolsonaro e revela novo pedido de impeachment

Em contato com o Paraíba Já, Juliano Medeiros classifica as falas de Bolsonaro como "piada de mau gosto" e espera ações das instituições para não soarem coniventes

O presidente Jair Bolsonaro comentou nos últimos dias que faria uma ‘churrasco’ para cerca de 30 pessoas, que na última sexta-feira (8) se tornou “cerca de 3 mil”, ao ironizar a letalidade e medidas contra a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). O presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, em contato com o Paraíba Já na noite de sexta classificou as falas do presidente como “piada de mau gosto” e revelou que o partido vai entrar com um novo pedido de impeachment contra o Chefe do Planalto.

+ Bolsonaro ironiza críticas e diz agora que deve receber “3 mil pessoas” em churrasco

Para Juliano, as afirmativas de Bolsonaro mostram seu total desprezo para com o povo brasileiro. “É uma piada de mau gosto, falar de fazer churrasco com o Brasil tendo 10 mil vítimas da Covid-19, mostra que esse sujeito não tem nenhum respeito pelo povo brasileiro”, afirmou o presidente partidário.

Com relação as ações que poderiam ser efetivadas pelo seu grupo político, Juliano foi direto: um novo pedido de impeachment. Bolsonaro já acumula cerca de 30 pedidos de impeachment na Câmara Federal, alguns protocolados por nomes como Alexandre Frota e Kim Kataguiri, ex-apoiadores do presidente.

+ Brasil registra 10 mil mortes por coronavírus, apontam dados dos governos estaduais

“Vamos estudar as medidas cabíveis, já entramos com queixas-crimes, várias denúncias, mas acho que chegou a hora de apresentar um pedido de impeachment definitivo. Contando com a força da sociedade, participação de entidades da sociedade civil, engajamento de sindicatos e movimentos sociais. Um impeachment que seja a expressão do repúdio desses 40% de brasileiros que não aguentam mais Bolsonaro na presidência”, declarou Juliano.

Bolsonaro brinca de dar facada em oficial da Marinha | A Gazeta

Pedido será na semana que vem

Conforme Juliano Medeiros este novo pedido terá texto mais robusto e contará com novos argumentos, baseados a partir das novas ações desastrosas de Bolsonaro. Ele também definiu o tempo, e a protocolação deve acontecer já na próxima semana.

+ Estudo diz que Covid-19 explodirá no Brasil se houver relaxamento do isolamento

“A partir dessa provocação covarde e absurda se recoloca o direito do impeachment, e vamos entrar, possivelmente na semana que vem, com um novo pedido, mais amplo, para demonstrar esse repúdio. E quem sabe fazer com que o Rodrigo Maia se mexa e possa instalar esse ou qualquer outro pedido de impeachment que tenha sido apresentado”, disse o psolista.

Para o presidente partidário é de extrema importância as instituições se movimentarem para que a sociedade brasileira note e também para que elas não soem como coniventes com as “barbaridades cometidas por Bolsonaro”.

Comente