Presidente da Petrobras diz que preço dos combustíveis não deve aumentar em janeiro

Jean Paul Prates, presidente da Petrobras, avalia não haver motivo para aumento dos preços dos combustíveis em janeiro de 2024. Segundo ele, existiria razão para uma baixa do valor nas bombas. A declaração foi dada em entrevista à GloboNews na tarde desta quinta-feira (28/12).

“Não há motivo absolutamente nenhum, mesmo com reoneração, para em janeiro haver aumento na bomba. Pelo contrário, há motivo para baixar o preço”, falou e citou a reoneração da folha de pagamento, descrita pelo presidente da Petrobras como “fator quase excepcional deste ano”.

Prates fez críticas ao governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) por ter reduzido a incidência do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis, em 2022.

“Tirar esse orçamento para dizer que o preço abaixou artificialmente é de uma simplicidade atroz, terrível. Agora, este governo está, além de tudo, tendo de reconstruir o marco tributário no qual o ICMS do combustível é uma das principais rendas dos estados, e não pode acabar isso com uma canetada”, destacou.

O presidente da Petrobras criticou a “imprevisibilidade” da gestão anterior. “Hoje, quem importa não é o analista, é o caminhoneiro, ele tem um preço previsível. Não há artificialidade nenhuma no preço que estamos praticando”.

Passagens aéreas

Questionado sobre o alto preço das passagens aéreas, Prates reconheceu o querosene de aviação como “um componente importante”, mas ressaltou haver outros fatores de relevância na tarifa.

“É inexplicável que mesmos percursos, com mesmas quilometragens, tenham diferenças de preço tão grande. Tem a questão da interioridade, mas é uma discussão muito mais profunda do que o preço da Petrobras”, explicou. Do Metrópoles.