Prefeitura de Conde anuncia liberação da construção e retomada gradativa

Restrição das demais atividades e as barreiras sanitárias na entrada no município permanecem pelos próximos 14 dias

A prefeita Márcia Lucena, anunciou, neste sábado (13), o Plano de Retomada das Atividades, que foram limitadas devido à pandemia do covid-19. Nessa primeira etapa serão autorizadas as atividades da construção civil, que deve seguir os protocolos de segurança propostos pela própria categoria à Prefeitura de Conde. A restrição das demais atividades e as barreiras sanitárias na entrada no município permanecem pelos próximos 14 dias.

A explicação está na característica de Conde, que é um dos principais destinos turísticos da Paraíba. O fluxo de veículos em final de semana normal chega a 8 mil veículos nos sábados e em torno de 10 mil aos domingos. Os serviços considerados essenciais como bancos, segurança, farmácias e estabelecimentos que fornecem alimentos, gás e água permanecem com total liberação de funcionamento.

A decisão de abertura moderada foi tomada, segundo a prefeita Márcia Lucena, para que não haja fechamentos abruptos, prejudicando imediatamente estabelecimentos que retomem as atividades nesse contexto atual.

“Nós estamos construindo um plano de enfrentamento à covid-19, que vai envolver as várias áreas, inclusive, a econômica. Esse plano vai garantir que a gente possa trabalhar com essa retomada de forma bem segura, tranquila e firme, contemplando, especialmente, o segmento do turismo. Há uma preocupação com a vida da população e com a forma que podemos criar mecanismos de prevenção para garantir a retomada das atividades econômicas sem interrupções”.

Para isso, o Comitê de Crise da Covid-19 será ampliado com participação paritária entre governo, sociedade civil e outros poderes para planejar essa retomada nas próximas semanas, a partir de critérios de segurança epidemiológica, de reorganização das atividades de acordo com a capacidade gerencial da Prefeitura de Conde.

A cautela na retomada das atividades se deve à condição de destino turístico e também porque o Conde não dispor de Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou hospitais, que garantiriam um socorro mais imediato a casos graves, em um cenário que não ocorreu até agora devido às medidas de prevenção, testagem, restrição das atividades e barreiras sanitárias.

O Conde integra a região metropolitana de João Pessoa e é considerada um dos principais destinos turísticos nacionais devido a diversidade de atrativos turísticos, que estão desde março com restrições de acessos devido à pandemia da covid-19. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) projetou em 2019 uma população de 24.670. O novo Decreto será publicado até a próxima segunda-feira (15).

Comente