Pré-candidato a governador é suspeito de financiar ato terrorista no DF

Pré-candidato ao governo do Pará pelo Pros, Ricardo Cunha é apontado como um dos supostos financiadores de George Washington de Oliveira Sousa, preso após tentar explodir um caminhão tanque com combustível em Brasília. As informações são do site O Antagonista.

Na delegacia, George Washington teria comentado que Ricardo Cunha prometeu que, se ele [George] fosse preso, seriam disponibilizado advogados, e que iriam continuar financiando ele.

Cunha participava, junto com o empresário, do acampamento em frente ao QG do Exército em Brasília junto com George, além de ser amigo da família do preso. A temporada em Brasília e a participação no acampamento bolsonarista foram fartamente documentados por Ricardo em sua conta no TikTok.

Ricardo Cunha disse à reportagem ter deixado o acampamento do Setor Militar Urbano, onde estava desde o dia 12 de dezembro, no dia 23 – um dia antes do atentado frustrado a bomba.

“Eu estava chegando em redenção uma cidade vizinha da minha já era 1h30 da manhã quando ele ligou da delegacia pedindo que eu procurasse uma pessoa chamada Pollon [Marcos Zborowski Pollon] do Pró Armas. Que avisasse pra mulher dele que ele estava preso mais estava bem“, disse Cunha, que nega ter enviado qualquer valor para o empresário preso para pagar advogados ou qualquer outra despesa.

Neste ano, Ricardo Cunha integraria a chapa majoritária do Pros ao governo do estado do Pará. Ele seria vice de Shirley Rolim. Shirley, entretanto, retirou a sua candidatura na última semana de agosto, após não ter suporte da executiva nacional da sigla. Ela se candidatou ao cargo de deputada federal.

Já Cunha tentou ainda uma vaga na Assembleia Legislativa paraense. Mas seu registro de candidatura foi negado pelo TRE-PA.

Cunha, que também já foi presidente do PSL no Pará, disse acreditar que George foi envolvido nessa situação por fazer uso de remédio controlado. Nos autos da prisão é citado que o empresário preso faz uso de Vervanse, uma medicação controlada usada para Transtorno de Déficit de Atenção.

“O Washington é uma pessoa boa. O problema dele são os remédios controlados que ele toma”, disse Cunha.