A polícia foi acionada pelo Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), depois de chamada recebida pelo 190. Servidores do Instituto de Polícia Científica (IPC)A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (Homicídios), esteve presente no prédio da antiga Escola Estadual Pedro Augusto Porto Caminha (EEPAC), no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa, a fim de investigar a presença de ossada humana no local.

O material foi encontrado no final da manhã desta terça-feira (7), espalhado em uma sala de aula e no pátio da escola que está desativada. Segundo a Secretaria de Estado de Educação da Paraíba, o prédio foi entregue em 2015 à ordem religiosa que é dona do edifício.

A polícia foi acionada pelo Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), depois de chamada recebida pelo 190. Servidores do Instituto de Polícia Científica (IPC) realizaram o levantamento no local e inicialmente constataram que misturados aos ossos tinham peças feitas de plástico porque não apresentavam o aspecto poroso.

A perícia também constatou que os ossos estavam guardados em caixas de papelões e gaveteiros e que teriam sido espalhados por pessoas que entram no prédio para usar drogas.

A polícia suspeita que os ossos estivessem sendo utilizados para estudos durante aulas de anatomia. “Só vamos saber se esses ossos são humanos e se pertencem a mais de uma pessoa após exames técnicos do Instituto de Polícia Cientifica. O material foi recolhido pelos peritos criminais e o resultado dos exames deve estar disponível em 15 dias. Os laudos serão encaminhados para a Delegacia que vai conduzir o inquérito”, concluiu o delegado Marcelo Bion.

Comente