Polícia revela dois suspeitos por assassinato de Expedito Pereira; um está preso

Ex-gestor foi morto na quarta-feira (9), na Avenida Sapé, no bairro de Manaíra, em João Pessoa, após ter sido seguido por um homem em uma moto

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (14), a Polícia Civil informou que há duas pessoas suspeitas de cometer o assassinato do ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira. Conforme o delegado de Crimes contra Pessoa, Victor Melo, a moto que aparece nas imagens registradas no dia do crime estava sendo utilizada por duas pessoas. O veículo foi emprestado e por conta disso, as duas pessoas se tornaram suspeitas. A moto foi identificada junto com o proprietário, que foi liberado após prestar depoimento.

De acordo com a polícia, uma pessoa foi presa no sábado (12), no entanto, foi por estelionato, já que ele tinha mandato de prisão em aberto. Suspeito se tornou alvo de investigação porque confessou ter usado a moto.

O delegado Victor Melo ainda informou que durante a investigação, que contou com o apoio da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob-JP) e Polícia Rodoviária Federal (PRF), foram coletadas dezenas de imagens e foi possível fazer a identificação da moto. A camisa descartada pelo autor do crime vai passar por perícia. Conforme as autoridades, as oitivas foram realizadas com mais 10 pessoas. A polícia ainda destacou que o proprietário do veículo não estava com o condutor.

Conforme as informações, duas pessoas são suspeitas no caso e podem ter participado de forma direta. Uma delas foi presa na noite do sábado, após isso, foi verificado que ele estava com a moto. Ainda não há informações sobre a motivação do crime.

Os familiares do ex-gestor estiveram na coletiva e declararam que não querem crer que a motivação tenha sido vingança ou que o crime tenha sido cometido por alguém da família, pois a “ferida será maior”.

“Nós pedimos a Deus que não seja da família porque a ferida será maior. Não quero crer que seja por vingança. O que nós sabemos é que ele [Expedito] ia se encontrar com outras pessoas pela manhã”, disse Carlos Pereira, sobrinho e advogado.

Expedito Pereira foi morto na quarta-feira (9), na Avenida Sapé, no bairro de Manaíra, em João Pessoa, após ter sido seguido por um homem em uma moto. Ele foi atingido por dois tiros.

Além de prefeito de Bayeux, Expedito Pereira também foi vereador da mesma cidade e deputado estadual. Ele era médico gastroenterologista e clínico geral. Foi ainda secretário de Saúde de Santa Rita (1986-1988). Como vice-prefeito de Bayeux (1989-1993, PMDB), assumiu o mandato de prefeito em 1992 após a morte de Lourival Caetano. Prefeito eleito por dois mandatos de Bayeux (1997-2000, PRP-PB; 2001-2002, PMDB-PB). Suplente na legislatura 2007-2011, assumiu o mandato de deputado estadual em março de 2009 na vaga de Iraê Lucena, nomeada secretária estadual de Ação Governamental.

Com informações do ClickPB