Polícia divulga vídeo de motorista bebendo antes de causar acidente na Epitácio Pessoa

A Polícia Civil divulgou, nesta quarta-feira (3), um vídeo onde o condutor que causou um grave acidente na avenida Epitácio Pessoa, principal via da capital, na segunda-feira (2) aparece aparentemente alcoolizado em um restaurante de João Pessoa horas antes da ocorrência. De acordo com a delegada de Polícia Civil Roberta Neiva, titular da Delegacia de Acidentes de Veículos da Capital, o motorista identificado por Ramilson Tadeu estava embriagado ao volante.

As imagens são registradas por volta das 17h30 da segunda-feira (1º), em um restaurante da capital. O motorista, que conforme a polícia é o de camisa azul nas imagens, aparece acompanhado de outro homem. No vídeo, é possível notar uma cerveja em cima da mesa. Assista:

+ Motorista que causou acidente na Epitácio estava embriagado e é considerado foragido

Novidades sobre o caso

Roberta colheu provas que indicam que o condutor do veículo, que fugiu do local e omitiu socorro, estava embriagado e, por isso, responderá por lesão corporal culposa com embriaguez ao volante. A punição para o delito varia de dois a cinco anos. O crime é inafiançável e, segundo a delegada, o status ainda é de flagrante, portanto não há necessidade de uma ordem judicial para a sua prisão.

“Estamos nos diligenciando [à casa dele] para prendê-lo porque o crime não é mais apenas uma lesão corporal no trânsito, que a pena é menor. Ela vai de dois a cinco anos em virtude da embriaguez e de uma das vítimas estar em estado grave no hospital, o que já está constatado pelo exame pericial que foi feito ontem. Há informações tanto de imagens, quanto de depoimentos, que ele esteve minutos antes em um restaurante da Capital onde ingeriu nove cervejas e de lá seguiu para onde aconteceu o acidente”, afirmou.

Até a publicação desta reportagem, o homem ainda não foi preso e é considerado foragido pela Justiça. Das duas vítimas do acidente, uma mulher e um idoso, a primeira já recebeu alta médica e o segundo se encontra internado em estado grave.

Comente