Picalé: empreendedora cria picolé em formato de pênis para vender no Carnaval

Além da famosa promoção de três latões de cerveja por R$ 10, parece que os foliões vão ganhar uma forma inusitada para se refrescar no Carnaval 2020. A aposta é da pernambucana Tayná Maísa, uma jovem cozinheira de 24 anos que criou a ‘picalé’, um picolé em formato de pênis que já conquistou a internet. Nas redes sociais, as publicações sobre a sobremesa já obteve milhares de reações no Twitter e Instagram.

Segundo Tayná, a ‘picalé’ surgiu após sugestão de colegas do curso de confeitaria para uma atividade em que os alunos deveriam criar sobremesas para serem vendidas em festas como o Carnaval e o Natal. Tayná pensou em criar um doce diferente que fizesse sucesso entre os foliões.

Inicialmente, a ideia era fazer um bolo no formato de pênis que seria chamado no feminino ‘bola de rola’. “Como aqui em Pernambuco a gente tem bolo de rolo, eu pensei em criar um nesse formato, mas depois vi que seria difícil vender no Carnaval. Foi aí que surgiu a ideia desse picolé em formato de pênis”, contou ela.

Depois disso a jovem foi atrás da fôrma para a sobremesa e fez um teste com amigos e foi um sucesso, segundo ela. “As pessoas ficaram elogiando. Elas diziam que era uma ideia massa, uma ideia genial”, falou.

Em entrevista ao Jornal do Commércio, Tayná falou que tentou fazer os doces com formato de vagina, mas o custo-benefício não seria vantajoso para ela. “Além de ser muito grande, quando eu fosse vender o picolé de vagina a R$ 10, as pessoas não iriam querer comprar”, disse. “Eu também gastaria muito material e tempo, correndo o risco de não dar certo”, completou.

Ingredientes e preço

Com o slogan “Chupa que hidrata”, a ‘picalé’ tem como ingredientes chocolate meio amargo, sorvete de vários sabores, como abacaxi e cachaça. “Eu tentei fazer de cerveja, não deu muito certo”, conta. A sobremesa que será vendida nas ladeiras de Olinda e nas ruas do Recife para refrescar os foliões pode ser encomendada e custa R$ 5,00 cada.

Comente