PF indicia 12 pessoas envolvidas em esquema criminoso da Operação Famintos

O inquérito que apura denúncias de supostas fraudes em licitações e desvio na merenda escolar em Campina Grande, descoberto durante a ‘Operação Famintos’, deverá ser concluído e apresentado ao Ministério Público federal (MPF) até a próxima quinta-feira (22). Mas pelo menos 12 pessoas já foram indiciadas pela Polícia Federal nas investigações.

A informação é do delegado Raoni Aguiar, que coordena as investigações. Ele não revelou, entretanto, os nomes das pessoas indiciadas. “Nós pedimos a prorrogação durante as investigações e foi concedida. Mas temos que concluir até o dia 22 e esperamos cumprir esse prazo e apresentar ao MPF, que terá um prazo de cinco dias para apresentar ou não a denúncia”, explicou o delegado ao blog.

A Operação Famintos apura um suposto esquema formado por empresas de fachada, que teriam fraudado licitações da merenda escolar em Campina Grande. As investigações vasculham um montante pago de R$ 25 milhões em contratos e aponta desvios de R$ 2,3 milhões.

Quando foi deflagrada, a ação policial prendeu 14 pessoas temporariamente e afastou das funções dois secretários municipais – de Administração e Educação. Atualmente 7 empresários acusados de integrarem o ‘esquema’ continuam presos preventivamente.

PMCG diz que CGU atestou modelo em 2016

Em nota, a prefeitura de Campina Grande afirmou que a distribuição da merenda escolar no município atende a todos os padrões de excelência. Ainda de acordo com a PMCG, a CGU atestou em 2016 a regularidade da execução do programa na cidade. As informações são do Notícias PB.

Comente