O brasileiro que a maioria dos eleitores pretende conduzir à presidência da República em 2018 está preso. É o que mostra a nova pesquisa Datafolha, em que Lula (PT) aparece com 31% dos votos, mais do que o dobro do segundo colocado, Jair Bolsonaro (PSL), que tem 15%.

Na sequência aparecem Marina Silva (Rede), com 10%, Joaquim Barbosa (PSB), com 8%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 6%, Ciro Gomes (PDT, com 5%, Alvaro Dias (Podemos), com 3%, Manuela D’Ávila (PCdoB), com 2%, Fernando Collor (PTC), com 1%, Henrique Meirelles (MDB), com 1%, Rodrigo Maia (DEM), com 1%, e Flávio Rocha (PRB), com 1%.

O número de Lula é menor do que o da pesquisa anterior, quando ele tinha 34%, mas pode ter sido afetado pela entrada de Joaquim Barbosa, que tem 8%, e também por toda a perseguição midiática e jurídica de que Lula tem sido alvo. Lula também supera com facilidade qualquer adversário no segundo turno, seja Bolsonaro, Alckmin ou Marina.

O Datafolha ouviu 4.194 eleitores em 227 municípios entre quarta (11) e sexta-feira (13). A margem de erro é de 2 pontos percentuais para cima e para baixo. Como os cenários pesquisados são diferentes dos analisados em janeiro, não é possível comparar diretamente os dois levantamentos.

Embora a Lei da Ficha Limpa impeça a candidatura de políticos condenados em segunda instância, caberá à Justiça eleitoral dar a palavra final sobre a participação ou não de Lula na eleição. O PT pretende pedir o registro da candidatura do ex-presidente e levar a disputa judicial até as últimas consequências.

De acordo com o Datafolha, nos cenários com Lula fora do páreo, Bolsonaro e Marina aparecem empatados na liderança. Ele tem 17% das intenções de voto, e ela oscila entre 15% e 16%. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Em todos os cenários sem Lula, Ciro Gomes (PDT) alcança 9%, empatado com o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que varia de 7% a 8%, e o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que entrou no PSB, mas ainda não se lançou candidato. Barbosa oscila entre 9 e 10%.

Menos conhecidos do eleitorado, os dois nomes cotados no PT para substituir Lula se ele desistir da candidatura têm desempenho tímido: o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad aparece com 2% e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner tem 1%.

Cenário com Lula

Pesquisa Datafolha: Lula lidera corrida presidencial e Joaquim Babosa já aparece à frente de Ciro

Camara Municipal