PBGás conecta mais uma indústria e chega a 40ª ligada ao gás canalizado

Dentre os novos clientes que passarão a utilizar o gás canalizado estão o BR-Polo Shopping, o Bar do Cuscuz, a doceria La Suissa e a panificadora Campinense

A Companhia Paraibana de Gás (PBGás) conectou mais uma indústria à sua rede de gás natural no Distrito Industrial do Velame, em Campina Grande. Uma das maiores metalúrgicas do Nordeste com 34 anos de atuação no mercado, a Fergel inicia neste mês de maio a operar a produção de estruturas de ferro e aço galvanizado com a utilização do gás canalizado.

A PBGás está investindo este ano cerca de R$ 5 milhões na construção da rede de gás em Campina Grande para atender aos mercados residencial e comercial e indústrias. Um dos investimentos foi a ampliação da rede no Distrito Industrial do Velame, em Campina Grande, para atender a Fergel e outras indústrias situadas no local.

Dentre os novos clientes da PBGás que passarão a utilizar o gás canalizado estão o BR-Polo Shopping, o Bar do Cuscuz, a doceria La Suissa e a panificadora Campinense.

Na Paraíba são 40 indústrias ligadas ao gás canalizado que representam 56% do consumo deste energético no Estado da Paraíba.

Para o diretor presidente da PBGás, Jailson Galvão, este é um segmento estratégico para o Estado e a companhia trabalha para oferecer o gás canalizado para os polos de desenvolvimento em João Pessoa, como o Polo Cabo Branco, em Campina Grande com a expansão no Distrito do Velame e em Cabedelo para atender ao Moinho Dias Branco e a região portuária.

“O gás natural traz inúmeras vantagens no processo produtivo e na logística de uma indústria como a eficiência e a economia, não necessitar de armazenamento de cilindros e o fornecimento contínuo, além de possuir um processo mais limpo e ambientalmente responsável”, explicou Jailson Galvão.

O empresário José Bonifácio Leite afirmou que optou pelo gás canalizado em sua indústria em busca de alguns benefícios para o seu processo produtivo, a exemplo da economia com o uso de um combustível mais barato que o GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) e a tranquilidade no fornecimento contínuo sem risco de desabastecimento. “Espero ter uma economia em torno de 20% em relação ao GLP no custo de produção. Além da segurança para nossos funcionários e o uso de um combustível mais limpo, ajudando na preservação do meio ambiente”, ressaltou.

Bonifácio elencou outro benefício que é o ganho de espaço na fábrica já que uma área de 200 metros quadrados para armazenamento de um grande cilindro de GLP será agora utilizada para ampliação da área de produção e expedição dos produtos.

A Indústria – A Fergel atua desde 1990 no mercado de ferragens galvanizadas, oferecendo excelência na fabricação de peças em aço forjado e laminado em diversas aplicações como linhas de transmissões, torres e antenas de telecomunicações e estruturas de metais para construção civil. A empresa fornece para os mercados do Norte e Nordeste.