PB vacina mais de 13.500 crianças contra Covid-19 e alerta imunização em atraso

João Pessoa é a cidade com maior número de doses aplicadas, com 1.416 registros

Paraíba tem 13.531 crianças com idade de 5 a 11 anos vacinadas com a primeira dose contra covid-19. Os dados são do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) e representam 3,92% da população desta faixa etária. João Pessoa é a cidade com maior número de doses aplicadas, com 1.416 registros. Em seguida aparece Cabedelo, com 1.241 doses; Cajazeiras, com 855; Conde, com 654 e Sousa, com 545.

De acordo com o secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, é possível que estes números estejam subnotificados. “Pelo quantitativo de doses que já foram distribuídas, acreditamos que o número de crianças vacinadas seja maior e que alguns municípios ainda não registraram em sistema todas as doses aplicadas”, comentou. Até agora, a Paraíba já enviou aos 223 municípios 116.400 doses da vacina Pfizer pediátrica e 105.980 da Coronavac/Butantan, que foi autorizada para vacinação de crianças a partir de 6 anos que tenham as funções imunológicas íntegras.

Ao mesmo tempo, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) tem observado a desaceleração da vacinação dos adultos. A meta é imunizar pelo menos 90% de cada grupo etário, mas a Paraíba tem avançado pouco depois que atingiu a marca de 68% da população com duas doses ou dose única da vacina contra covid-19.

Na população adulta, que iniciou a vacinação há mais de um ano, a Paraíba registra 87,69% de cobertura vacinal. “Esse número deveria ser superior a 90%, pois as doses para garantir o esquema completo para todas as pessoas com idade a partir de 18 anos estão disponíveis nos postos de vacinação em todo estado”, alega o secretário, complementando que “a porcentagem de internados que está com alguma dose em atraso é de 76% e isso mostra a urgência em alcançar a meta de imunização”. Já a população com idade de 12 a 17 anos está com 40,64% de cobertura vacinal, o que representa 153.306 adolescentes com duas doses da vacina.

Geraldo Medeiros ressalta que os municípios devem se comprometer com a imunização, fazendo a busca ativa dos cidadãos com doses em atraso e criando estratégias que facilitem o acesso da população à vacina, seja com ampliação do horário de oferta das doses ou criação de postos de vacinação mais acessíveis. “Também temos observado um grande número de abstenções para as doses de reforço e lembramos a todos que esse complemento é indispensável para prevenir contra a variante Ômicron, responsável pelo aumento vertiginoso do número de casos e óbitos em nosso estado”, observou.

 

A SES destaca que, além da vacinação, a utilização de máscaras, o distanciamento seguro, a etiqueta respiratória e a higienização das mãos ainda são os meios mais eficientes de prevenção contra a covid-19. A vacinação está disponível nos 223 municípios para adultos e crianças a partir de 5 anos de idade. A estratégia vacinal é individual e definida por cada localidade.