Pastor preso por desvios no RJ batizou Bolsonaro nas águas do Rio Jordão

Na época, Bolsonaro era filiado ao PSC. Em um vídeo nas redes sociais, é possível ver que a cerimônia foi acompanhada de perto por três filhos do atual presidente

O presidente do PSC, Pastor Everaldo, foi preso na manhã desta sexta-feira (28), durante a Operação Tris in Idem, um desdobramento da Operação Placebo, que investiga atos de corrupção em contratos públicos do governo do Rio de Janeiro. Em nota, o PSC informou que o Pastor Everaldo “sempre esteve à disposição de todas as autoridades”.

Em 2016, o pastor foi responsável pelo batismo do então deputado federal Jair Bolsonaro no Rio Jordão, em Jerusalém. No mesmo dia, o Senado brasileiro votou pela admissibilidade do impeachment da então presidente Dilma Rousseff.

Na época, Bolsonaro era filiado ao PSC. Em um vídeo nas redes sociais, é possível ver que a cerimônia foi acompanhada de perto por três filhos do atual presidente: o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

A ação autorizada pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Benedito Gonçalves nesta sexta-feira também determinou o afastamento do governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel por 180 dias.

Assista:

Do Exame

Comente