Partido denuncia Bolsonaro à OMS por expor brasileiros à morte em ato

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) será denunciado à Organização Mundial de Saúde (OMS) por expor a população brasileira ao risco de morte por coronavírus – um vírus altamente letal, que provoca preocupações em todo o mundo. O anúncio da denúncia foi feito, através do Twitter, pelo deputado federal Marcelo Freixo (Psol-RJ).

“12 pessoas que estiveram com Bolsonaro em Miami estão com o coronavírus. Hoje o presidente mostrou que está se lixando para a vida dos brasileiros e participou do ato em Brasília. Nós do @psolnacamara vamos denunciá-lo à OMS. Bolsonaro se comporta como um líder de facção fanático”, postou o deputado.

Neste domingo (15), Bolsonaro descumpriua recomendação de monitoramento dada por médicos do governo em razão do novo coronavírus. O presidente deixou o Palácio da Alvorada no início da tarde e participou de uma manifestação a favor do governo.

Em um primeiro momento, Bolsonaro percorreu o lado oposto da Esplanada dos Ministérios, de carro, e recebeu acenos dos manifestantes. Em seguida, fez o caminho de volta e entrou no Palácio do Planalto.

Minutos depois, o presidente foi até a grade e apertou a mão de apoiadores. O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, apareceu ao lado de Bolsonaro nas imagens.

Na última sexta-feira (13), após receber um exame de coronavírus com resultado negativo, o presidente, que recentemente esteve nos Estados Unidos, disse a apoiadores no Palácio da Alvorada que não daria a mão para cumprimentar as pessoas, como faz de costume.

No dia anterior, em uma transmissão pela internet, Bolsonaro apareceu de máscara ao lado de do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. O presidente disse que seus apoiadores deveriam repensar as manifestações programadas para domingo, por causa do coronavírus.

Comente