Parlamentares denunciam ao Congresso dos EUA atuação ilegal do FBI junto à Lava Jato

No começo deste mês, a nova Vaza Jato apontou uma cooperação ilegal entre EUA e a Lava Jato. Foram divulgados os nomes de 13 agentes do FBI que atuaram na operação

Parlamentares de PT, PSOL, PDT, PCdoB, PSB e REDE enviaram nesta quinta-feira (16) uma carta aos membros do Comitê Judiciário e do Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, para denunciar a atuação do FBI e do Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) junto à Operação Lava Jato.

Os parlamentares pediram que “adotem as medidas legislativas apropriadas para expor essa ingerência externa inaceitável e responsabilizar os agentes e oficiais responsáveis”.

No começo deste mês, a nova Vaza Jato apontou uma cooperação ilegal entre EUA e a Lava Jato. Foram divulgados os nomes de 13 agentes do FBI que atuaram na operação.

Confira um trecho da carta publicado na Revista Forum:

“De acordo com o Tratado de Assistência Jurídica Mútua (MLAT) entre o Brasil e os EUA, nem o FBI nem o DOJ poderiam ter trabalhado com os procuradores da Operação Lava Jato sem consentimento prévio do Ministério da Justiça brasileiro. No entanto, em 2015, uma delegação estadunidense veio ao Brasil sem o conhecimento do governo federal brasileiro. O grupo participou de conferências na sede da operação Lava Jato e foi apresentado a advogados de delatores para colaborarem em acordos de delação nos EUA.

Mensagens vazadas de 2016 revelam que o procurador-chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol, estava conversando com agentes estadunidenses sobre como compartilhar as multas advindas de acordos nos EUA em processos contra empresas brasileiras sob investigação da Lava Jato. Conversas também revelam uma relação próxima entre os procuradores brasileiros e agentes do FBI, incluindo Leslie Backschies, atual chefe da Unidade Internacional de Corrupção do FBI. Mensagens mostram que a Sra. Backschies estava apoiando as propostas legislativas desenvolvidas pelos procuradores da Lava Jato conhecidas como ‘10 Medidas Contra a Corrupção’”.

Do Brasil 247

Comente