Paraibano foi o único do governo Bolsonaro a lamentar marca de 500 mil mortes

O médico paraibano Marcelo Queiroga foi o único ministro do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a se manifestar publicamente sobre as mais de 500 mil mortes por Covid-19 atingidas pelo Brasil nesse sábado (19).

O ministro da Saúde divulgou, via redes sociais, uma nota na qual lamentou a morte de meio milhão de brasileiros por conta da Covid. O país registrou 2.247 novos óbitos pela doença nas últimas 24 horas, totalizando nesse sábado 500.868 mortes desde o início da pandemia.

Em sua conta no Twitter, Queiroga disse prestar solidariedade a cada pai, mãe, amigos e parentes, que perderam seus entes queridos. “500 mil vidas perdidas pela pandemia que afeta o nosso Brasil e todo o mundo. Trabalho incansavelmente para vacinar todos os brasileiros no menor tempo possível e mudar esse cenário que nos assola há mais de um ano”, disse o ministro paraibano.

Na contramão de Queiroga, o ministro das Comunicações de Bolsonaro, Fábio Faria, debochou da onda de protestos e manifestações de solidariedade nas redes sociais, pouco antes de a palavra ‘meio milhão’ subir aos trending topics do Twitter.

“Em breve vcs [sic] verão políticos, artistas e jornalistas ‘lamentando’ o número de 500 mil mortos. Nunca os verão comemorar os 86 milhões de doses aplicadas ou os 18 milhões de curados, porque o tom é sempre o do ‘quanto pior, melhor’. Infelizmente, eles torcem pelo vírus”, escreveu o ministro.

Já o presidente Jair Bolsonaro ignorou os 500 mil mortos e preferiu gravar um vídeo com mensagem de apoio aos policiais que estão em busca do serial killer Lázaro Barbosa.