Ouça: CRM diz que, se tivesse opção, Trauminha deveria ser fechado por não ter condições de atendimento

O diretor de fiscalização do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM/PB), João Alberto Moraes Pessoa, durante entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (05), para tratar dos problemas do Ortotrauma de Mangabeira, foi taxativo ao analisar a situação do hospital gerido pela Prefeitura de João Pessoa.

Ouça:

“Se tivesse um outro hospital que pudesse dar suporte aos pacientes a esses pacientes, eu não tenho a menor dúvida de que o Trauminha seria fechado, porque ele não tem condições de operar minimamente como hospital. Pela quantidade de pessoas que nos cercaram durante a fiscalização, percebemos que há um número bastante elevado de pacientes. Só numa enfermaria, nenhum paciente estava esperando menos de 30 dias”, afirmou.

Mais informações em instantes

Comente