Operação Midas prendeu em dois dias 15 pessoas na PB por crimes crimes de roubo e receptação

Até o fim da manhã desta quinta-feira (27), 15 pessoas foram presas durante a Operação Midas. A ação, comandada pelo Ministério da Segurança Pública, foi deflagrada nessa quarta-feira (26) simultaneamente em 25 estados brasileiros e deverá se estender até às 17h desta quinta. Os trabalhos vêm sendo feitos em parceria com a Polícia Civil.

Das 15 prisões, 13 foram em cumprimento a mandados judiciais e duas foram em flagrante delito por crimes de roubo e receptação. As prisões ocorreram nas cidades de João Pessoa, Alhandra, Solânea, Tacima, Araruna, Cajazeiras, Picuí e Esperança. Os dados foram divulgados na manhã desta quinta-feira (27) pela Delegacia Geral da Polícia Civil da Paraíba.

De acordo com a Delegacia, as 13 pessoas presas por ordens judiciais respondem a processos por prática de assaltos e outros crimes patrimoniais.

O operação Midas tem o objetivo de dar cumprimento a mandados de prisão preventiva expedidos contra autores de roubo e latrocínio, ou seja, crime patrimonial com violência ou grave ameaça e resultado morte, tentado e consumado. Os mandados foram expedidos de 2017 até este ano.

Os alvos da operação são pessoas que tiveram autoria reconhecida em inquéritos policiais, que comprovam participação em crimes e se encontram foragidas da Justiça. O objetivo também é reduzir o índice de criminalidade, tendo em vista que os procurados praticam novos delitos, enquanto permanecem soltos.

A palavra ‘Midas’ é uma referência metafórica ao conto do rei que tocava nas coisas e as transformava em ouro, sendo a ganância seu principal mal. A mesma analogia é feita com relação ao autor de crimes patrimoniais, que causa grande prejuízo às suas vítimas.

Comente

Camara Municipal

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected]