Naldo Cell e Luzimar Nunes têm contas aprovadas pelo TCE-PB

Conforme Naldo, resultado positivo do julgamento em relação ao período em que presidiu a Câmara de Conde, coroa um período fundamental de sua trajetória política

O pleno do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), através de sessão eletrônica, aprovou nesta quarta-feira, 26 de agosto, as contas relativas às gestões dos atuais vereadores do PSB, Ednaldo Barbosa (Naldo Cell) e Luzimar Nunes, no período em que foram presidentes da Câmara Municipal de Conde, ambos durante o ano de 2017.

Os dois vereadores foram representados no processo, junto ao TCE, pelo advogado Marcos Souto Maior. O advogado destacou a aprovação das contas pela totalidade dos conselheiros do TCE, “As contas que foram julgadas referem-se ao exercício financeiro de 2017. Ontem o Tribunal, em sua unanimidade, aprovou in totum (em sua totalidade) as contas dos dois ex gestores e agora não há mais nada que possa ser retorquível, ou seja, a gestão financeira de Naldo Cell e Luzimar Nunes foram definitivamente aprovadas”, garante Marcos Souto Maior.

Segundo Naldo Cell, o resultado positivo do julgamento do TCE em relação ao período em que presidiu a Câmara de Conde, coroa um período fundamental de sua trajetória política, que foi a experiência de presidir a Casa Legislativa de Conde, “foi um período muito rico de experiências quando pude democratizar ainda mais a casa estabelecendo as sessões itinerantes pelas comunidades, aumentando a transparência, organizando o arquivo da Casa e abrindo as portas da Câmara para o atendimento diário ao público, entre outras ações importantes. Tudo isso com o necessário respeito ao patrimônio público, como agora atesta o TCE”, destaca o vereador.

Para Luzimar Nunes, presidir a Câmara foi um desafio, mas também uma excelente oportunidade para adquirir experiência administrativa e contribuir diretamente com o melhor funcionamento da Casa Legislativa. A aprovação das contas pelo TCE, afirma Luzimar, “vem comprovar que fizemos o nosso trabalho da melhor forma possível, com respeito ao patrimônio público e ao povo de Conde”, afirma.

Comente