Mulheres de 14 estados participam em João Pessoa do 2º Encontro Nacional de Prostitutas

Foto: Daniela Pinheiro

Profissionais do Sexo de 14 estados mais o Distrito Federal participam, em João Pessoa, do 2º Encontro Nacional de Prostitutas, que começa nesta terça-feira (18) e prossegue até a quinta-feira (20). O objetivo é discutir as políticas públicas voltadas para as prostitutas, a prostituição como trabalho, feminismo e as estratégias de sensibilização desse público com a saúde mental e corporal. A mesa de abertura ocorrerá nesta terça-feira a partir das 9h com a participação de gestores públicos, mandatos dos legislativos que atuam em defesa dos direitos das mulheres e representações dos movimentos sociais. Mesas redondas, Grupos de Trabalho (GTs) e intervenções artísticas ocorrem até a quinta-feira. O evento ocorrerá no Núcleo de Teatro Universitário – Teatro Lima Penante, no Centro de João Pessoa.

O encerramento no dia 20 contará com um desfile da Daspu, marca criada por Gabriela Leite em São Paulo, que contará com cerca de 30 mulheres se valendo da passarela para exaltar a moda da rua e a beleza das prostitutas em um ato político e em defesa dos direitos das mulheres.

O principal debate do 1º dia do evento ficará por conta da mesa ‘Consolidação do SUS e Participação Popular’, às 10h43. A discussão terá à frente representantes do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde e Fórum ONG/AIDS. A presidente da Associação das Prostitutas da Paraíba (APROS-PB), Luza Maria, ressalta que o encontro servirá para discutir as novas estratégias de prevenção implantadas pelo Ministério da Saúde e as formas de aproximar essas ações do cotidiano das prostitutas. “A Apros-PB existe para defender os direitos das prostitutas, mas também param garantir a criação desses espaços em que as profissionais do sexo, representações dos movimentos sociais e gestores trocam experiências e discutem estratégias focadas nas mulheres, em especial, na mulher que trabalha como prostituta. É importante lembrar que esse trabalho de prevenção, de cuidado com o corpo e saúde a Apros-PB tem feito o ano inteiro junto às prostitutas”, afirmou.

As prevenções combinadas a que Luza Maria se referem são o uso do preservativo masculino, muito difundido no país, aliado com a Profilaxia Pós-Exposição, com uso de medicamentos antirretrovirais por qualquer pessoa que teve contato com o vírus HIV em situações como relação desprotegida, violência sexual ou acidente de trabalho; e a PrEP voltada para o uso preventivo antes da exposição ao vírus HIV, reduzindo a possibilidade de se contaminar caso ocorra contato com o HIV.

No 2º Seminário estarão presentes três entidades de âmbito nacional que lutam em defesa dos direitos das prostitutas: a Rede Brasileira de Prostituta, a Central Única de Trabalhadores e Trabalhadoras Sexuais (CUTS) e a Articulação Nacional de Profissionais do Sexo. Estarão presentes no encontro prostitutas de Manaus, Pará, Pernambuco, Maranhão, Aracaju, Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Brasília, Corumbá, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Minas Gerais e São Paulo.

Apros-PB intensifica ações de interiorização com parcerias com municípios

A Associação das Profissionais do Sexo vem firmando parcerias com várias prefeituras e durante o 2º Encontro Nacional de Prostitutas será uma oportunidade de fortalecer essas parcerias de interiorização das ações voltadas para as prostitutas. Luza Maria da Apros-PB reforçou que o foco é o de dialogar com os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para garantir a ampliação dos serviços de saúde para as prostitutas.
No 2º encontro haverá a participação de gestores a partir das coordenações de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) de Sapé, Mamanguape, Itabaiana, Cajazeiras e Sousa. Essa articulação é mantida por meio de financiamento do Fundo Posithivo. “A Apros-PB tem realizado visitas semestrais a esses municípios e percebemos que os ACS são importantes parceiros que podem facilitar e replicar informações em saúde de forma segura e responsável para as prostitutas dessas cidades”, frisou.

Desfile da Daspu ocorre na Praça Antenor Navarro

O desfile da Daspu encerra a programação do 2º Encontro Nacional de Prostitutas na quinta-feira, 20, a partir das 20h, na Praça Antenor Navarro, no Centro de João Pessoa. A realização no Centro Histórico da capital ocorrerá graças a uma parceria com a Hera Bárbara. A Daspu foi criada em 2005 inicialmente como uma grife de moda que pudesse funcionar como dispositivo cultural e artístico para dar visibilidade e sustentabilidade às ações da ONG Davida.
DASPU – A Daspu foi criada em 2005 pela prostituta e autora do livro ‘Filha, mãe, avó e puta’, Gabriela Leite, ativista e fundadora, com Lourdes Barreto, do movimento organizado de prostitutas no Brasil, que em 2017 fez 30 anos, tendo como marco o I Encontro Nacional de Prostitutas “Fala, Mulher da Vida”, que aconteceu no Rio de Janeiro em 1987.
Peças icônicas do acervo, como o Sutiliga, estarão de volta com uma nova cara, trazendo elementos da nova coleção que será lançada em 2019 e terá como tema a PUTA LUTA e a mulher guerreira que está à frente dela. A criação é do coletivo SARTBIT por Bruna Sartini e Camila Machado. Junto com essa criação será mostrada a nova arte da Laerte para Daspu.
Peças da última coleção criada em parceria com os estilistas Ale Marques e Marcita com desenhos da Laerte também estarão na passarela, além das peças criadas por um grupo de alunos do Curso de Moda da UNAMA/Belém. O desfile tem direção e produção de Elaine Bortolanza em parceria com Associação das Prostitutas da Paraíba APROS-PB e a Hera Bárbara.