MPT: denúncias de assédio eleitoral de empresas contra funcionários sobe para 447

O Ministério Público do Trabalho (MPT) informou que, até a tarde desta terça-feira (18), já havia registrado 447 denúncias de assédio eleitoral nas eleições de 2022. Na semana passada, o número computado pelo MPT era de 173 – aumento de quase 160%.

O assédio eleitoral é crime e ocorre quando um empregador age para coagir, ameaçar ou promete benefícios para que alguém vote em determinado candidato.

A região Sul do país é a que mais contabiliza casos até o momento: 171. Os três estados da região também ocupam a primeira, segunda e terceira posição no ranking, sendo o Paraná o campeão de denúncias, com 64 ocorrências. Santa Catarina aparece em seguida com 54 denúncias; e Rio Grande do Sul com 53.

ASSÉDIO ELEITORAL 2022

ASSÉDIO ELEITORAL 2022
SUL 171
SUDESTE 136
NORDESTE 82
CENTRO-OESTE 37
NORTE 21
TOTAL 447

O Procurador-Geral do Trabalho, José de Lima Ramos Pereira, afirmou que diferentemente das últimas eleições, os mais de 400 casos do 2º turno estão relacionados a quase 400 empresas.

Segundo ele, em pleitos passados, as denúncias estavam concentradas em poucas empresas. Situação que não se repetiu neste ano.