Publicidade
Cotidiano

MPF investiga irregularidades no funcionamento do Samu de Patos, no Sertão da PB

Um inquérito civil foi aberto pelo Ministério Público Federal (MPF) para investigar irregularidades no funcionamento do serviço de Samu na cidade de Patos, no Sertão da Paraíba. A publicação do procedimento foi publicado no Diário Eletrônico do MPF desta quinta-feira (10).

Segundo informações repassadas pelo MPF, representantes das cidades de Teixeira, Condado, Vista Serrana e Malta denunciaram que a Prefeitura de Patos, como um forma de melhorar o atendimento do Samu, criou postos avançados, conhecidos como bases descentralizadas, para as ambulâncias em cada um desses municípios mantidos com recursos da própria prefeitura.

Entretanto, a partir de 2017, a gestão municipal deixou de manter essas estruturas, fato que prejudicou o serviço do Samu nas cidades vizinhas a Patos. De acordo com o procurador do MPF em Patos, a instalação dos postos avançados, mesmo que tenham melhorado e agilizado o atendimento não são previstos pelo Ministério da Saúde, se configurando, portanto, em estruturas informais.

“O Samu de Patos resolveu, por meio da sua prefeitura, celebrar acordos com os municípios interessados, para que fossem criadas as chamadas ‘bases descentralizadas informais’, podendo ser chamados também de ‘postos avançados’, cuja responsabilidade da administração seria de cada município, após o repasse do valor de custeio referente a cada Unidade Móvel recebido pela Prefeitura de Patos do Ministério da Saúde”, informa o procurador Djalma Gusmão Feitosa no documento.

O coordenador do Samu de Patos, Soemani dos Santos, disse que essa denúncia é da gestão passada e que nessa gestão não se tem conhecimento amplo do que aconteceu. “Esses postos avançados existem porque o Samu de Patos é quem regula essas cidades. Sei que em Teixeira continua usando, mas só o secretário de Saúde é que sabe dizer mais detalhes”, disse ele.

G1 tentou entrar em contato com o secretário de Saúde, Dani Nunes, e com o secretário de Comunicação, Misael Nóbrega, mas as ligações não foram atendidas.

As informações são do G1. 

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Mostrar mais

Redação Paraíba Já

Fundado em maio de 2010, o Paraíba Já é um portal de notícias sediado em João Pessoa (PB), que tem compromisso com a verdade, fazendo um jornalismo de qualidade e relevância social.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar