MP de Contas considera ilegal compra da Lifesa por Daniel Gomes e recomenda anulação do negócio

O Ministério Público de Contas da Paraíba (MPC-PB) julgou, nesta sexta-feira (13), procedente a representação contra a compra das ações do Laboratório Industrial e Farmacêutico (Lifesa); o caso integra as investigações da Operação Calvário. Quem assina o documento é o Procurador-Geral do MPC, Manoel Antônio dos Santos Neto, e o Procurador do MPC, Luciano Andrade Farias.

“Julgamento pela procedência da presente representação, com Declaração de que a compra das ações da Lifesa pela Troy SP, posto que fraudulenta, foi ilegal, ilegítima e lesiva ao patrimônio público”, versa trecho do documento.

O MPC também recomenda à atual gestão da Lifesa para que promova a necessária anulação de negócio jurídico realizada com a Troy SP, “de tudo fazendo prova a esta Corte de Contas, sob pena de repercussão negativa nas contas”.

Confira documento

Comente