O movimento Minha Jampa, em união com o Instituto Projeto Público, protocolou uma ação civil pública solicitando a suspensão do aumento nas tarifas de ônibus da capital paraibana, que passou a vigorar no último dia 13, elevando a passagem de R$ 3,55 para R$ 3,95.

De acordo com o diretor executivo do movimento, Jerlan Alves, o aumento é considerado abusivo porque, tendo sido de 11% foi, além do reajuste do salário mínimo (4,61%), também superior à taxa de inflação (3,75%).

“Se pagarmos 2 passagens inteiras por dia, seis vezes por semana, gastamos ao fim do mês R$ 189,60 apenas com transporte. A gente para caro para andar em ônibus que estão sucateados, em deslocamentos curtos, e onde muitas paradas são descobertas”, argumentou.

Ainda de acordo com ele, no próximo dia 12 será realizado um ato, no Parque Sólon de Lucena, em que o prefeito Luciano Cartaxo está sendo convidado para um passeio de ônibus no horário de pico. “Assim ele vai poder ver as condições precárias do serviço público mal prestado e exorbitantemente caro”, disse.

Também no dia 12, será realizada uma audiência pública na Câmara Municipal de João Pessoa, com a presença de representantes da sociedade civil, para discutir a falta de transparência da Semob. “Para conseguirmos o edital de licitação foi uma luta terrível. Além disso, esse cálculo do reajuste não é explicado em detalhes. Nós não queremos ficar nos mobilizando todo ano, o que queremos é que as coisas sejam feitas de forma transparente e discutida com a população”, declarou o diretor executivo do Minha Jampa.

Comente