Mostra de cinema Janela Quebrada abre inscrições para edição de 2021

A V Edição da “Mostra Janela Quebrada – Cinema e outras artes de invenção e risco” está com inscrições abertas até o dia 26 de abril, no hot site do evento: www.janelaquebrada.com.br. O festival acontecerá de forma remota, com 100% das atividades realizadas de modo virtual e totalmente gratuito entre os dias 07 e 10 de julho.

O recorte escolhido são as produções experimentais, que em sua linguagem, narrativa e estética trazem experimentação e ousadia. Também obras que dialogam com outras modalidades artísticas – teatro, dança e artes visuais, dentre outras – abrindo espaço para videoarte, filmes-dispositivo, videoinstalações e outras narrativas híbridas.

Em sua chamada de abertura, a edição 2021 da Mostra destaca a necessidade de reinvenção do cinema enquanto arte, algo cada vez mais urgente em temos de Pandemia:

“Em tempos catastróficos, de perdas materiais e imateriais, em que o retrocesso teima em avançar, a arte resiste como ferramenta de (re)invenção, experimentação e risco, quebrando e reconstruindo janelas, na busca da possibilidade de (re)inventar mundos outros.”

A proposta do Janela Quebrada é abrir espaços de exibição e discussões no campo do cinema experimental e expandido com outras artes, acolhendo obras de diversas cenas culturais brasileiras. A ideia é ampliar os diálogos estéticos e as articulações políticas entre os artistas que constroem sua trajetória em busca da inventividade e das infinitas possiblidades experimentais do cinema em diálogo com as outras artes.

Identidade visual

A identidade visual da V Mostra Janela Quebrada foi criada pela artista visual e designer Rebeca Linhares. Ela releva que o processo de criação foi realizado de forma coletiva e a principal fonte de inspiração foram as várias telas que compõem o cotidiano das pessoas hoje.

“O processo de criação dessa identidade foi feito coletivamente. Conversei com a curadoria e perguntei o que cada um achava que deveria ser nosso cartaz ou se tivessem alguma referência imagética ou conceitual mesmo, que me repassassem. Através dessa conversa surgiu o conceito de Multitelas e a ideia de como nós estamos sempre conectados em múltiplas telas principalmente nessa pandemia”, explicou Rebeca.

Outro conceito que teve influência na criação da identidade visual foi o de heterotopia, do filósofo francês Michel Foucault, que descreve lugares e espaços que funcionam de forma não-hegemônica.

“Esse conceito também traz uma referência imagética de ilhas, algo que também foi mencionado nas minhas conversas com a equipe do Janela. Além disso, alguém me trouxe a ideia de tentar reproduzir uma espécie de mapa marítimo e também a representação de vários tipos de arte materializadas nas ilhas do poster”, completou Rebeca.

Como surgiu o Janela Quebrada

A Mostra Janela Quebrada surgiu em 2016 como um evento acadêmico dos cursos de Cinema e Audiovisual e Radialismo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), organizado por alunos e professores e voltado para produções experimentais do circuito paraibano.

A partir de uma convocatória lançada pelas redes sociais em busca de realizadores que tivessem obras que dialogassem com a proposta de cinema experimental, foi identificada uma grande quantidade de filmes realizados que não encontram espaços de exibição nos circuitos mais tradicionais. A mostra ocorreu no período de dois dias e para além das exibições dos filmes no Cine Aruanda, também promoveu exposição de artes visuais na galeria de artes da UFPB, a Lavanderia, e abriu espaço para performances musicais e obras processuais que se fazem na relação entre o campo das artes e das tecnologias, como vídeo mapping, projeções sobre corpos e experimentos sonoros.

A participação entusiasmada dos artistas e do público presente, estimado em torno de 300 pessoas nas diversas sessões promovidas pela Mostra, foi o combustível necessário para a continuidade e ampliação do projeto. Nas três edições seguintes (entre 2016 e 2017), a Mostra se tornou um lugar de encontro entre artistas de diversas linguagens que atuam na Paraíba, potencializando parcerias criativas e formando um público cada vez mais interessado nas intersecções entre arte e tecnologia e no vasto campo dos experimentalismos nas artes. Artistas como Chico Correa, Totonho, Chico Dantas, DMG, Rieg, Aurora Caballero, Flávio Metralha e tanto outros, passaram pela Mostra e compartilharam os seus processos artísticos.

Sobre a Edição 2021

A “V Mostra Janela Quebrada – Cinema e outras artes de invenção”, acontecerá no período de 7 a 10 de julho, no formato virtual, com programação de exibições de filmes, debates, palestras e oficinas, 100% gratuita. O evento é uma realização da Nêga de Camalaú Produções com recursos da Lei Aldir Blanc – João Pessoa, através do Edital lançado pela Fundação Cultural de João Pessoa – Funjope. Para mais informações: vjanelaquebrada@gmail.com