Morre jovem que teve objetos esquecidos dentro do corpo após parto no Cândida Vargas

Foi confirmada nesta quinta-feira (19) a morte cerebral de Kellyane Neri. Ainda grávida, ela deu entrada no Instituto Cândida Vargas no mês de setembro, onde deu à luz a um menino. Após o parto, ela passou a sentir dores abdominais, que logo foram seguidas por outros sintomas, como um quadro de febre frequente.

Exames foram realizados e foi constatado que médicos esqueceram objetos cirúrgicos utilizados na cesariana dentro do seu corpo. A suposta negligência médica, de acordo com parentes, foi descoberta depois de mais de um mês do parto, quando a paciente começou a sentir as dores abdominais.

Até então, Kellyane seguia internada na unidade da Rede Municipal de Saúde em estado grave.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) destacou que “se coloca a disposição dos familiares da paciente para prestar quaisquer esclarecimentos”. Com informações do T5.

Confira na íntegra:

No tocante a situação clínica da paciente Kellyane Neri do Nascimento, a Secretaria c esclarece:

1. A paciente permanece internada na UTI, recebendo toda assistência médica hospitalar, mas lamentavelmente foi confirmada a morte cerebral;

2. Os familiares estão recebendo todo o acompanhamento necessário por parte da equipe multiprofissional do Instituto Cândida Vargas (ICV) e, dialogando com a direção do hospital;

3. A SMS se coloca a disposição dos familiares da paciente para prestar quaisquer esclarecimentos;

4. Será disponibilizado nesta sexta-feira (20), cópia do prontuário médico da paciente, dentro dos termos da lei, com as informações e todo histórico da assistência prestada;

5. Por fim, esta secretaria determinou ao Instituto Cândida Vargas (ICV), na última segunda-feira, a criação de uma comissão sindicante que deverá apresentar relatório conclusivo sobre a situação num prazo de trinta dias.

Comente