Michelle Ramalho inicia segundo mandato na FPF-PB

FPF repudia atitude de dirigentes do Belo e defende liberdade de imprensa
Presidente Michelle Ramalho - Foto: Arquivo

Tem início nesta quinta-feira o segundo mandato de quatro anos de Michelle Ramalho na presidência da Federação Paraibana de Futebol (FPF-PB). Em entrevista ao Bom Dia Paraíba, da Rede Paraíba de Comunicação, a mandatária do futebol do estado falou sobre as expectativas para seu próximo quadriênio à frente da entidade e afirmou que o foco da sua gestão até 2026 será voltado para a profissionalização dos clubes e o incentivo às categorias de base do estado.

Michelle Ramalho assumiu a cadeira da presidência da FPF-PB em outubro de 2018 em um cenário de caos no futebol paraibano, onde, após denúncias de esquemas de manipulação de resultados que culminaram na Operação Cartola, a imagem do esporte no estado estava maculada. Consequência disso é que, de acordo com a presidente, os primeiros quatro anos de seu mandato foram voltados para “limpar a casa” e restaurar a credibilidade da arbitragem paraibana a nível nacional.

— O primeiro mandato foi voltado para limpar e organizar a casa. Focamos primeiro em resgatar, entre outras coisas, a credibilidade da nossa arbitragem, que, quando assumimos, em 2018, estava fora do quadro nacional. Agora é a hora de dar um passo à frente, mais ousado. Estaremos focados em investir em gestão e tentar melhorar a organização de todos os clubes da Paraíba para, quem sabe, chegarmos a patamares mais altos no futebol nacional — afirmou.

Nos últimos quatro anos, a Paraíba ficou a um passo de ter um representante na Série B em duas oportunidades, ambas com o Botafogo-PB, que perdeu o jogo do acesso já nos acréscimos. Ter uma equipe do estado na 2ª divisão nacional é de interesse também da FPF-PB, uma vez que impacta diretamente na posição da federação no Ranking Nacional de Federações (RNF). Para Michelle, a Segundona deverá ser uma realidade para a Paraíba quando os clubes passarem por um processo de profissionalização em suas gestões, tendo como norte cases de sucesso além das fronteiras paraibanas.

— Chegarmos ao patamar de termos times na Série B é um sonho não apenas meu, mas de todos os clubes do estado. Queremos focar em gestão, na profissionalização dos clubes para que eles virem clubes-empresas, mas, para tal, é necessário que os times tenham acesso a cursos, cases de sucesso de como se profissionalizar, para que eles possam realizar o sonho que é de todos nós de subirmos de patamar no ranking nacional — pontuou.

Investimento na base

Hulk, Arthur Cabral, Matheus Cunha, Aderlan… Além de serem paraibanos e representarem excepcionalmente o estado no cenário futebolístico nacional e internacional, o que esses atletas têm em comum é que explodiram para o futebol em clubes de outros estados. A questão incomoda Michelle, que foi enfática ao afirmar que um dos focos do seu novo mandato será no fomento do futebol de base pelos clubes do estado.

— Temos que ajudar os clubes a investir no futebol de base. A base é onde tudo se inicia, e eu fico muito triste quando vejo jogadores paraibanos sendo revelados por equipes de estados vizinhos. Então os clubes precisam ter essa consciência e a FPF-PB precisa investir em competições de base para que possamos fomentar essa modalidade tão importante para o nosso futebol — frisou.

Campeonato Paraibano de 2023

A temporada do futebol da Paraíba aproxima-se do seu fim e, muito por isso, é natural que muitos olhos já estejam voltados para 2023. É desejo da FPF-PB e dos clubes que a próxima edição do Campeonato Paraibano tenha início na primeira quinzena de janeiro. No entanto, segundo a mandatária do futebol paraibano, é algo que não depende apenas da vontade das duas partes citadas, mas também dos que regem as praças esportivas do estado, que, anualmente, apresentam problemas para serem liberadas pelo Ministério Público para a prática esportiva.

— Estamos muito focados na 1ª divisão do Paraibano de 2023. Queria, inclusive, pedir desculpa pelo fato de a 2ª divisão estar sendo realizada apenas em Sapé, mas isso é justamente para atender à necessidade de que possamos ter todos os integrantes da elite do ano que vem no Arbitral que definirá os moldes da competição. Estamos nos programando para dar início ao Campeonato Paraibano de 2023 no dia 15 de janeiro. Mas isso não depende apenas da vontade da Federação e dos clubes, depende de uma luta de todos, até mesmo para que os estádios estejam aptos para receber os jogos — finalizou.

Arbitral da 1ª divisão do Paraibano deve acontecer até novembro — Foto: Raniery Soares/ge

Arbitral da 1ª divisão do Paraibano deve acontecer até novembro — Foto: Raniery Soares/ge

Do ge/PB.