Mesmo preso, Leto Viana atua na lavagem de dinheiro e ocultação de bens

O ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, mesmo preso ainda continua atuando de maneira ilícita no que diz respeito a lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio, de acordo com promotor do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Rafael Linhares. Durante coletiva de imprensa, realizada nesta sexta-feira(22), na sede da Polícia Federal, foram repassados detalhes da terceira fase da Operação Xeque-Mate, que culminou na prisão preventiva do empresário Roberto Santiago.

+ PF prende Roberto Santiago na terceira fase da Operação Xeque-Mate

“Na lavagem de dinheiro sim [Leto segue atuando]. Mesmo encarcerado tem se utilizado de terceiros, dentro desse processo de dissimulação de propriedade”, afirmou Linhares.

O sistema criminoso que atua na licitação do lixo em Cabedelo não teve o valor preciso do prejuízo que causou ao erário divulgado, mas, segundo os investigadores, os custos giram em torno de R$ 42 milhões – nos contratos celebrados.

Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão foram apreendidos dinheiro em espécie, mídias eletrônicas e documentos. Conforme o delegado da Polícia Federal, Fabiano Emídio, os bens imóveis que foram bloqueados compõem um importante aspecto do esquema de lavagem de dinheiro de Leto Viana.Os imóveis estavam em nome de terceiros ou até mesmo do ex-prefeito. “Eles compõem o destino do dinheiro da corrupção”, disse o delegado.

Dos vinte imóveis sequestrados, nenhum pertencia ao empresário Roberto Santiago. Ele deve ser encaminhado para o Fórum Criminal, onde passará por audiência de custódia ainda nesta sexta-feira.

Os investigados responderão pelos crimes de formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e fraude licitatória.