Médico brasileiro que examinou Gugu Liberato questiona causa da morte

“Foi uma situação delicada desde o início. Havia muito sigilo envolvendo a questão e a gente como médico tem que ter o maior número de informações possível”, disse o neurocirurgião de confiança da família Gugu Liberato aos apresentadores da atração matinal da Band.

Guilherme deixou claro que Gugu não chegou morto no hospital, mas com um quadro neurológico grave. “Pelo relato da esposa que prestou o primeiro socorro, ela descreve que teve a distensão de um dos braços. Seguramente, ele não estava morto.”

Depois da queda, o apresentador acabou engolindo um pouco de sangue e, para o neurocirurgião, isso pode ter agravado a situação. O médico disse que o hospital era muito bem equipado, mas ele não pode tocar em Gugu por não ter uma licença para atuar nos Estados Unidos.

“Eu tinha que comprovar o diagnóstico encefálico. Existem critérios de diagnósticos que podem ser questionados e fui chamado para ver isso”, contou. Guilherme falou que havia um corte pequeno na testa de Gugu e supõe que ele tenha batido a cabeça em uma pilastra que tinha no andar de baixo da casa.

“A minha hipótese médica, quando cedeu o sótão, nesse processo de queda, bateu a cabeça numa pilastra. Ele ficou desacordado nesse momento. Por quê? Porque no momento seguinte foi uma colisão direta da cabeça. E deve ter caído sem as defesas naturais que a gente tem”, explicou o médico de Gugu . Resumindo, o apresentador machucou a cabeça antes de cair de vez no chão.

Comente