MDB reage a apoio de ‘caciques’ a Lula e diz que 19 estados estão com Tebet

O MDB divulgou hoje uma carta em apoio à candidatura da senadora Simone Tebet à Presidência, assinada por representantes do partido em 18 estados e no Distrito Federal.

O documento foi publicado após os caciques do MDB em 11 estados selarem um acordo para apoiar a chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já no primeiro turno.

“Em respeito ao povo brasileiro e aos filiados do MDB, nós – defensores de uma alternativa à polarização e ao populismo – ratificamos nosso compromisso de lutar pela eleição de Simone Tebet à Presidência da República”, diz o texto.

De acordo com os dirigentes, apoiar Tebet resgata o protagonismo do MDB e é coerente com a decisão do partido em 2019, de independência em relação ao atual governo.

As unidades da federação citadas no documento são:

  1. Acre
  2. Amapá
  3. Bahia
  4. Distrito Federal
  5. Goiás
  6. Maranhão
  7. Mato Grosso
  8. Mato Grosso do Sul
  9. Minas Gerais
  10. Pará
  11. Paraná
  12. Pernambuco
  13. Piauí
  14. Rio Grande do Sul
  15. Rondônia
  16. Roraima
  17. Santa Catarina
  18. São Paulo
  19. Tocantins

O texto mostra a divisão dentro do partido, já que representantes do Maranhão, Bahia, Pará e Piauí declararam ontem apoio à Lula.

Baleia Rossi, presidente nacional da legenda, negou ontem que haja discordâncias. “Conversei há pouco com alguns dirigentes do MDB que supostamente estariam com outro candidato à presidente. Eles me garantiram que vão apoiar Simone Tebet na convenção que vai homologá-la candidata. Decidimos por maioria, respeitando as minorias. Teremos apoios nos 27 estados”, publicou ele no Twitter.

Tebet não decolou nas pesquisas e têm perdido apoios antes dados como certos. Ela tem 3,3% das intenções de voto, de acordo com o agregador de pesquisas do UOL, e quase nenhum palanque estadual forte.

“Nós defendemos que o MDB já coligue agora, no primeiro turno, com o nosso presidente Lula, porque é o candidato que reúne as condições para o fortalecimento da democracia. Quando ele foi presidente, teve esse comportamento e é o que defendemos”, afirmou o governador Paulo Dantas, antes de entrar para a reunião.

O grupo defende o apoio oficial do MDB à candidatura de Lula já no primeiro turno na convenção nacional marcada para o dia 27 — deixando de lado a pré-candidatura de Tebet.

O senador Renan Calheiros é um dos que se posicionam abertamente contra Tebet sob o argumento de que lançar mais um nome sem chance de vitória só enfraqueceria o partido. Em 2018, o ex-ministro Henrique Meirelles (MDB) acabou em sétimo lugar com 1,2% dos votos.

Do Uol.