Maternidade do Hospital da FAP é fechada por obras e PMCG se manifesta

De acordo com gestão do hospital, a interrupção nos serviços ofertados no espaço acontece por tempo indeterminado

O Hospital da Fundação Assistencial da Paraíba (FAP), com sede em Campina Grande, vai realizar uma reforma na Ala C de sua unidade hospitalar e assim vai interromper por tempo indeterminado os serviços em sua maternidade. A ala que será reformada recebe pacientes com câncer que, por causa disso, passarão a ser acolhidos na maternidade, o que vai interromper os serviços de obstetrícia.

A medida começa a valer no dia 25 de março. E, diante desse cenário, a Secretaria de Saúde da Prefeitura de Campina Grande explicou que vai realizar uma realocação das mulheres grávidas que precisam de atendimento e que até então procuravam o Hospital da FAP.

De acordo com a Secretaria de Saúde, são 90 partos por mês que passarão a ser realizados no Hospital da Clipsi, e que serão contratados por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

A transferência para o Hospital da Clipsi, contudo, segundo nota da Secretaria, só vale a partir de 31 de março, o que pode provocar seis dias de problemas em atendimentos do tipo.

De toda forma, a perspectiva é que em junho deste ano o Hospital Help também esteja habilitado para realizar partos pelo SUS em Campina Grande, o que permitiria que ele abarcasse parte da demanda.

Do g1