Ludgério quer aliado de Ricardo como suplente de Cássio Cunha Lima nestas eleições

O deputado estadual e vice-presidente do PSD na Paraíba Manoel Ludgério declarou que o partido estuda nomes para ser suplente de Cássio Cunha Lima (PSDB), que pleiteia a reeleição ao Senado.

“Nós estudamos para que um dos membros do PSD assuma a suplência de Cássio. Nomes estamos discutindo, mas a primeiro momento, o primeiro nome a ser ventilado foi o do ex-deputado Inaldo Leitão. No entanto, o senador Cássio fez uma ressalva com muita propriedade. Inaldo tem dialogado muito com o governador Ricardo Coutinho. Então, fica meio que incongruente ter um suplente que vota em João Azevêdo e um candidato a senador votando em Lucélio Cartaxo. É preciso que Inaldo reveja seu posicionamento político para que nós possamos avançar”, argumentou.

Nesta quinta-feira, Ludgério também liberou os demais filiados e cobra mais participação do PSD nas discussões para construção da chapa majoritária. Ludgério que esteve com o presidente nacional do PSD, Gilbero Kassab, ressaltou que esse compromisso foi firmado desde a época de Rômulo Gouveia, respeitando a realidade política local de cada município.

“Desde que Rômulo assumiu o comando do PSD, o partido sempre teve respeito a todos os filiados para que todos possam fazer suas coligações de acordo com a política local; por tanto, respeitamos”, explicou o deputado que ainda ressaltou um exemplo na própria família: “eu tenho por exemplo o prefeito João Paulo de Boqueirão, que é meu primo e vota com o governador Ricardo Coutinho. Isso não diminui o prestígio de João Paulo conosco, pelo contrário, isso é uma questão local de sobrevivência política”, relatou.

Sobre as informações de que o PSD poderia reavaliar o seu apoio ao pré-candidato Lucélio Cartaxo (PV), o parlamentar estadual assegurou o total apoio da legenda com a chancela do presidente nacional, Gilberto Kassab.

“Nós estamos dentro do perfil de oposição ao estado, isso foi muito bem estabelecido por Rômulo em vida; o partido através do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, acompanha o pré-candidato Lucélio Cartaxo e o que nós reclamos, nós não, foi eu quem reclamei, é que nós possamos ter um convite para que participemos das discussões das composições na majoritária e na proporcional”, disse Ludgério que ainda assegurou a decisão de Kassab: “Kassab reiterou e deixou o partido muito acavalheiro e eu comuniquei e reafirmei a ele o nosso perfil de oposição no estado”, sentenciou.

Ludgério cobrou que o PSD precisa ter mais ‘protagonismo’ do PSD na oposição e que, a falta de nomes para a chapa majoritária, pode indicar suplência para o senado.

“O que queremos? O partido ta na oposição, isso é fato. Nós vamos ter uma coligação proporcional, temos candidatos. Nós precisamos ser chamados, não podemos ser comunicados, pra analisar em que coligação vamos integrar. Chapa majoritária, senador Cássio. Quem é o outro candidato? Se não tem,  mas poderá dispor de nomes para integrar a suplência”, finalizou.

Comente