Lindolfo afirma que verba de emenda do senador Veneziano ainda não foi liberada para compra de tomógrafo

"É verdade que até agora esse dinheiro não foi liberado. Portanto, não há tomógrafo novo adquirido com a verba do senador", afirmou o deputado

Ainda sobre a discussão do tomógrafo usado e destinado ao hospital Regional de Sousa, o deputado estadual Lindolfo Pires trouxe à tona uma informação que não apenas “resgata a verdade”, como bem descreveu, como esclarece em muito as circunstâncias pelas quais o tomógrafo chegou a Sousa.

Em participação no programa Progresso Agora, na tarde desta quinta-feira, 12, o deputado informou que o tomógrafo ora instalado no Regional de Sousa não é fruto de recurso de emenda do senador Veneziano. Segundo Lindolfo, sequer a emenda foi liberada para tanto.

“As pessoas antes de opinar, criticar, precisam buscar a verdade. Existe a emenda do senador Veneziano. É fato! Mas, também é verdade que até agora esse dinheiro não foi liberado. Portanto, não há tomógrafo novo adquirido com a verba do senador. Quanto isso acontecer, claro, vamos adquirir um tomógrafo novo e destiná-lo a Sousa”, disse o deputado.

“O aparelho está em bom estado. Dado a sua importância, será, certamente, útil, considerando a dificuldade que a população mais carente tem para conseguir um exame através dele (tomógrafo). O tomógrafo será relevante ao hospital Regional e à população até um novo ser instalado”, acrescentou.

Ressonância Magnética

Quem contribui com outra informação sobre o assunto, foi o vereador Aldeone Abrantes que surpreendeu ao declarar que os recursos da emenda do senador Veneziano se destinam a compra de um aparelho de ressonância magnética e não para um tomógrafo.

“Que fique claro, o dinheiro vai para a compra de um aparelho de ressonância magnética bem diferente de um tomógrafo como estão a pregar por ai. Aliás, tem gente gravando vídeo levando inverdades sobre essa discussão. Informando que o dinheiro já teria sido liberado e que o governador teria desviado o tomógrafo para a Capital e o prefeito não teria questionado. Tudo mentira. No que fica claro que é mais uma armação política de uma oposição que joga baixo”, disse.

Segundo Aldeone, a discussão foi levada à Câmara com o proposito de buscar uma solução diante das informações que circulavam sobre o tomógrafo, inclusive, com a incumbência de se criar uma comissão para dialogar com o Governador João Azevêdo, porém, a oposição teria se agarrado ao debate com o víeis, meramente, político-eleitoral.

Do Blog do Jucélio Almeida