- Publicidade -
Cotidiano

Jovem sofre com ‘paralisia misteriosa’ e namorado lança vaquinha online para custear tratamento, na PB

"É muito triste olhar para minha namorada e ver ela sem poder fazer nada", afirmou Daniel de Normando

Uma estudante baiana, de 22 anos, que mora em João Pessoa vem sofrendo com uma paralisia misteriosa do lado esquerdo do corpo. Até o momento os médicos não conseguiram detectar o que vem acometendo a estagiária Yaçanã Climaco. A equipe indicou uma ressonância magnética para poder ter melhores chances de detectar o que vem acontecendo com a saúde da jovem. Sem renda para poder bancar um exame particular e temendo esperar pelo atendimento através do Sistema Único de Saúde (SUS), o namorado dela, o também estudante Daniel de Normando, de 27 anos, resolveu criar uma Vakinha – arrecadação online – no valor de R$ 850.

- Continua depois da publicidade -

Desde o ano passado ela vinha com alguns problemas referentes a formigamentos pelo corpo. Yaçanã foi ao médico e ele disse que seria psicológico, então receitou alguns remédios e ela seguiu a vida.

Conforme Daniel, desde setembro ela vem sentindo os formigamentos novamente, mas acharam que poderia, mais uma vez, ser psicológico. “Na última sexta-feira ela saiu com as amigas, quando ela acordou no sábado já não conseguia sentir o braço esquerdo e a perna esquerda. Corri para o Trauma. Lá eles fizeram uma tomografia, porque até então não era AVC nem trombose. Na tomografia o médico falou que acha que viu uma mancha, e que seria necessário uma ressonância magnética”, contou o namorado da jovem.

No hospital do SUS só tem vaga para o próximo mês. “Enquanto isso ela tá em cima de uma cama, de vez em quando ela se mexe aqui e acolá, eu a levo pra tentar caminhar mas nós não queremos essa vida, é difícil até pra usar o banheiro ou vestir uma roupa”, relatou Daniel.

Como a ressonância deve demorar para ser realizada, o casal optou por uma ressonância particular, já que ela não tem plano de saúde. “Só a ressonância custa de R$ 400 a R$ 600. Eu não tenho dinheiro pra isso, nem nossa família”, disse. Foi aí que veio a ideia da Vakinha.

O estudante de administração diz que a ideia é “ver se consegue levantar pelo menos metade disso”. Porque também há outros custos adicionados ao exame, como medicações e consultas.

O objetivo da ‘vaquinha’ é arrecadar R$ 850 até dezembro para tentar ajudar na descoberta do que acomete a Yaçanã.

“É muito triste olhar para minha namorada e ver ela sem poder fazer nada. Logo ela que faz muita coisa no dia a dia. Se a gente não conseguir, teremos que tentar o SUS, por mais que isso demore”, desabafou Daniel.

Porém, caso o caminho seja buscar a ressonância pelo SUS a jovem, natural de Salvador, vai ter que largar o estágio e trancar a graduação. Daniel torce para que isso não aconteça, e que Yaçanã fique curada o mais rápido possível.

Até o momento a Vakinha conta com R$ 175 arrecadados. Faltam R$ 675 para bater a meta desejada pelo casal.

Como ajudar a Yaçanã

Você pode doar na vaquinha online ‘Ajudem Yaçanã Climaco’ criada no site Vakinha.

“A Yaçanã é uma mulher linda, divertida, alegre e muito comprometida com seus afazeres. Em 2018 encabeçou um projeto onde ela fornecia aulas pré enem para alunos negros e de baixa renda, ela fazia de tudo lá, foi um projeto magnífico, as pessoas a adoram”, escreve Daniel no site.

Comente

Fique por dentro de todas as notícias do Paraíba Já nas redes sociais:
Facebook, Twitter e Youtube.

Interaja com o Paraíba Já:
E-mail: [email protected] | WhatsApp: (83) 98176 - 1651

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar