Jornalista Sérgio Montenegro lança livro sobre paraibanos paratletas no Rio 2016

Um cego que chegava a pedalar 20km de bicicleta; um garoto que, aos 17 anos, trocou o seu conforto para presentear os pais com a primeira casa própria; uma criança que nas peladas era escolhido para ser apenas um torcedor e tornou-se tetracampeão paralímpico; um menino que parou de estudar por não suportar as feridas formadas em seus pés de tanto caminhar para chegar à escola; e a fatalidade de um tiro no rosto, que tirou a visão de um garoto de 16 anos e o transformou em tricampeão paralímpico.

Feitos Paralímpicos: a trajetória de cinco paraibanos na Rio 2016 será lançado, no dia 15 de outubro, no Cine Aruanda do CCTA na UFPB às 19h. A obra é um produto do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo pela UFPB, concluído em agosto de 2017 pelo autor Sérgio Montenegro e orientado pela Professora Doutora Joana Belarmino.

O livro-reportagem-perfil relata a história de cinco atletas paraibanos até as Paralímpiadas do Rio em 2016 e fala da infância, dos preconceitos sofridos, das dificuldades, vitórias e derrotas, além das conquistas esportivas. Os atletas são: Cícero Nobre e Petrúcio Ferreira, no atletismo; José Roberto, no goalball; além de Damião Robson e Marcos Felipe, no futebol de 5.

Sérgio Montenegro foi além do livro escrito e resolveu fazer a obra em Braille. “Dos cinco atletas, três são cegos, além disso, a minha orientadora de mestrado é cega também. Como falo de inclusão social, não faria sentido lançar um livro que eles não pudessem ler.” A ideia de fazer em Braille surgiu quando estava entrevistando o atleta de goalball, José Roberto. Sérgio Montenegro percebeu que o atleta não poderia ler a própria história para a filha, de três anos de idade, se o livro não estivesse em Braille. Decidiu, então, pesquisar para saber como poderia realizar a ideia. Foi quando soube que a Editora A União havia adquirido uma impressora em Braille, conversou com a Superintendente da época, Albiege Fernandes, que se sensibilizou e abraçou a ideia. É o primeiro livro em Braille da Editora A União. Foram impressos 50 exemplares que serão doados para instituições como: UFPB, FUNAD, Instituto dos Cegos de João Pessoa e Campina Grande, além do Comitê Paralímpico Brasileiro.

O livro em Braille foi realizado pela transcritora Dina Melo e pelo revisor Otto Moreira.

Sérgio Montenegro é mestre em Jornalismo, formado em Direito e Contabilidade, conciliador na Justiça Federal da Paraíba e apresentador e repórter do Correio Esporte da TV Correio, afiliada na Paraíba da Record TV.