João Pessoa teria seis vezes mais mortes por Covid-19 se não adotasse isolamento

O número de mortes em João Pessoa poderia ser seis vezes maior se a cidade não tivesse adotado o isolamento social. Os números atuais mostram 32 óbitos na Capital, esse dado poderia ser de 192.

+ Covid-19: Cartaxo amplia decreto de isolamento social por mais 15 dias

A projeção foi realizada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A necessidade por leitos de UTI também cresceria 139%, sobrecarregando a rede hospitalar que, até o momento, vem se preparando e tendo capacidade assistencial superior à demanda, tanto nos leitos de UTI como de enfermaria.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa nesta quinta-feira (30) (Foto: Reprodução/PMJP)

Para o médico Felipe Proêncio, o isolamento já trouxe resultados efetivos para a Saúde pessoense. “Já temos esse feito do isolamento, o que reforça a necessidade e importância do isolamento. A falta do isolamento teria demandado do sistema de saúde uma procura 139% maior de leitos de UTI”, disse o Doutor em saúde.

Ainda conforme Proêncio, todas as projeções, que apontam números maiores e negativos, reforçam a assertividade das medidas que estão sendo tomadas na Capital. “Temos que continuar atentos. Porque agora passamos a integrar os dados de internação em UTI, que é uma taxa que vem crescendo”, explicou.

“Isolamento social continua sendo a medida mais eficaz contra a doença. Consideramos que é fundamental ter o acompanhamento de perto sobre o isolamento. Não tem vacina, demora cerca de um ano para ser disponibilizada. Hoje nossa vacina é o isolamento social”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

+ “Maio será um mês muito difícil”, diz Cartaxo sobre covid-19 em JP

Maio pode apresentar um crescimento ainda maior no número de casos, e as projeções preocupam a prefeitura. “O mês de maio será um mês muito difícil, João Pessoa terá dias muito duros pela frente”, destacou o prefeito.

Para ele, a missão neste momento é achatar a curva – reduzir o número de contaminados pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) na Capital.

“A curva é o que precisamos achatar, e isso é com isolamento social, para ganharmos tempo para o sistema de saúde, para organizar tudo ainda mais. Não existe nenhum sistema no mundo inteiro preparada para uma pandemia como essa”, disse.

O secretário de Saúde Adalberto Fulgêncio também reforçou a importância da quarentena voluntária. “O isolamento social salva vidas, é uma questão dura para se enfrentar, mas necessária. Mas a questão, como o prefeito falou, não é religiosa, política ou outra coisa, mas sim de vida”, declarou o secretário.

+ Covid-19: com 115 casos em 24h, Paraíba bate recorde e registra marca centenária pela 1ª vez

Decreto estendido

O prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PV) anunciou, em coletiva nesta quinta-feira (30), que vai ampliar por mais 15 dias o decreto que impõe isolamento social.

Alguns dos motivos foram: a Capital com somente 50% dos pessoenses respeitando o isolamento, o aumento exponencial de casos, o país com a maior taxa de contágio do mundo.

+ João Pessoa tem quase 500 casos de coronavírus; Campina Grande chega a 51

Fiscalização com drones

Cartaxo informou também que a Prefeitura de João Pessoa vai realizar fiscalização do cumprimento do isolamento social decretado na cidade com o uso de drones, assim como no Rio de Janeiro.

“Conseguimos uma parceria importante com uma start-up. Teremos esse monitoramento, acompanhando dia a dia como está o distanciamento na nossa cidade, isso também nos permite tomar melhores medidas com relação a reforçar o isolamento”, explicou Cartaxo.

Comente