“João está indo para o sacrifício”, diz secretário sobre congelamento do ICMS dos combustíveis

Governador paraibano e de outros 26 estados anunciaram congelamento sobre impostos que incide sobre combustíveis

“João e os governadores estão indo para o sacrifício”. É assim que o secretário de Estado da Fazenda, Marialvo Laureano, definiu nesta quinta-feira (17), em entrevista ao programa F5, da Rádio Pop, o congelamento sobre o ICMS dos combustíveis decretado nos estados nesta quinta.

“Aprovamos a prorrogação em mais 60 dias. Tudo isso são ações em prol da população, onde desde setembro quando aprovamos o congelamento do PNPS por 90 dias que acaba agora. São medidas que não atingem diretamente o problema, porque o problema é o aumento desenfreado dos combustíveis. João e os governadores estão indo novamente para o sacrifício para não prejudicar a população paraibana, esse foi o objetivo do governador João Azevêdo”, afirmou Marialvo.

Conforme o secretário, os Estados seguem atuando em beneficio da população, mas indiretamente gerando lucros para a Petrobras, que nada faz sobre o tema.

“Tudo isso é culpa da Petrobras e do governo federal. Nesses 90 dias que os governadores congelaram o ICMS, o governo federal e a Petrobras nada fizeram. A petrolífera seguiu mudando os valores a partir de suas políticas de preço internacionais”, disse o secretário.