João exonera Tatiana Domiciano, da PBGás, após envolvimento na Calvário

A presidente da PBGás, Tatiana Domiciano, foi exonerada do cargo na tarde desta quarta-feira (18). A dispensa ocorre após o nome da dirigente ser inserido no rol dos investigados pela operação Calvário. A ação é coordenada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, e contou com a participação da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Tatiana é citada nas investigações como sócia da Lifesa, mas a executiva nega as acusações (veja nota abaixo). De acordo com a denúncia formulada pelos promotores, ela teria atuado na Secretaria de Comunicação, no Hospital de Trauma e na Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep). Ela é o terceiro nome a deixar cargo importante no Estado desde esta terça-feira. O comando da PBGás será assumido pela diretora administrativa da empresa, Taciana Danzi Oliveira.

Denúncia

A denúncia do Ministério Público da Paraíba que resultou em 17 mandados de prisão e 45 de busca e apreensão divide os suspeitos em núcleos que comporiam a suposta organização criminosa. A relação inclui os grupos político, administrativo e econômico, além dos responsáveis pela operacionalização do esquema. O ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), alvo de mandado de prisão, é apontado como o cabeça na suposta organização criminosa.

Os levantamentos apontaram que, no período de 2011 a 2019, somente em favor das OS contratadas para gerir os serviços essenciais da Saúde e da Educação, o Governo da Paraíba empenhou 2,4 bilhões de reais, tendo pago mais de 2,1 bilhões, sendo que destes, 70 milhões de reais teriam sido desviados para o pagamento de propina aos integrantes da Organização Criminosa.

Na área da saúde, as irregularidades eram executadas notadamente por meio de direcionamento de contratos de prestação de serviços, aquisição de materiais e equipamentos para as unidades hospitalares junto a empresas integrantes do esquema e indicação de profissionais para trabalharem nas unidades de saúde.

Veja nota divulgada por Tatiana antes da exoneração:

Na condição de Diretora Presidente da PBGás e cidadã, venho, por meio desta, informar:

1 – quanto à medida cautelar inominada sob o nº 0000835-33.2019.815.000 , que deflagrou mais uma fase da Operação Calvário, apenas tive ciência hoje, via imprensa estadual, razão pela qual estou buscando o acesso integral aos termos do processo;

2 – A Companhia de Desenvolvimento da Paraíba – CINEP possuía assento no Conselho de Administração do LIFESA/PB, por designação estatutária, não tendo a pessoa física Tatiana Domiciano qualquer relação societária com aquele laboratório;

3 – Enquanto Diretora Presidente da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba – CINEP e demais órgãos onde atuei, sempre busquei agir com honra e competência, visando atender ao interesse público e coletivo;

4 – que nenhum mandado foi expedido em meu nome e que me coloco à disposição para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários .

Tatiana da Rocha Domiciano

Com informações do Blog do Suetoni.

Comente